DirecTV interessada em comprar a GVT. Foto: flickr.com/photos/gustavm

A norte-americana DirecTV está considerando fazer uma oferta pela operadora de telecomunicações brasileira GVT, controlada pelo grupo francês Vivendi, afirmou uma fonte próxima do assunto nesta quarta.

Segundo a Reuters, o processo de venda está ainda no início e a Vivendi não quer apressar o desinvestimento do que considera um ativo importante, que ainda tem potencial de crescimento de até € 8,5 bilhões.

A DirecTV é a segunda maior operadora de TV paga do Brasil, ocupando quase 30% do mercado por meio da marca Sky.

Em janeiro, a Sky anunciou ter interesse na compra da operadora de TV por assinatura e banda larga Acom Comunicações, controlada pelo grupo português SGC Telecom.

O valor para a venda da GVT teria até sido fixado: US$ 10,42 bilhões.

Além disso, Telefónica e Telecom Italia também estão entre os possíveis compradores.

No entanto, segundo as fontes, as duas atravessam programas de redução de dívida que poderiam dificultar para elas alcançarem o preço pedido pela GVT.

Sergio Rodriguez, analista de crédito da Fitch Ratings, declarou que a GVT não é um negócio "necessário" para a América Móvil, que no Brasil opera sob a marca Claro.

Mesmo assim, o analista confirma que o grupo poderia bancar a compra da operadora se decidir fazer isso.

"Carlos Slim (controlador da América Móvil) tem uma estratégia de comprar empresas a preços razoáveis, então vai depender de quanto a Vivendi vai pedir", disse Rodriguez.

ESTRATÉGIA

Segundo a Reuters, a Vivendi já vinha revisando sua carteira de ativos, para reduzir dívidas e melhorar sua situação no mercado de ações. A venda da GVT e da unidade de games Activision Blizzard seriam partes desta estratégia.

O grupo francês assumiu o controle da GVT em novembro de 2009 por 2,9 bilhões de dólares, quando sua oferta de 56 reais por ação da operadora superou a proposta de 50,5 reais feita pela Telefónica, que considerava a empresa como essencial para sua estratégia no Brasil.