Hub New York acontece entre 22 e 26 de setembro. Foto: Andrey Bayda/Shutterstock.com

Sete empresas brasileiras serão apresentadas a clientes potenciais em Nova York, por meio de uma ação conjunta do Ministério da Ciência e Tecnologia, a Softex e a Centria Partners. ArgoTechno, Bematech, Ícaro, Ixia, Orion, PagPop e SaúdeControle participarão do evento que acontece entre 22 e 26 de setembro.

Durante os cinco dias, os executivos das empresas participarão de rodadas de conhecimento, seções de mentoria, rodadas com investidores e seções específicas voltadas à inovação, qualidade e inteligência de mercado.

O Hub New York faz parte da iniciativa da Softex para a internacionalização de empresas brasileiras. Para o segmento de TI, as ações são realizadas por meio da Centria Partners, que selecionou no país as companhias que têm tecnologia com potencial para exportação.

A ArgoTechno é uma empresa de engenharia de software, consultoria e desenvolvimento com foco no planejamento de soluções, acompanhamento e suporte em SmartCard e Chip EMV. A empresa foi fundada em 2004 e tem sede em São Paulo e escritório em Miami.

A provedora de tecnologia Bematech é focada em varejo, food service e hospitality. Em 2013, registrou uma receita líquida de R$ 365,4 milhões, valor 11,3% superior ao resultado consolidado de 2012.

A Ícaro Technologies desenvolve e integra soluções de análise e gerência de serviços, redes, sistemas, infraestrutura e segurança. Com escritórios em São Paulo, Campinas, Rio de Janeiro e Curitiba, a empresa é parceira estratégica da IBM, BMC e Palo Alto Networks.

Especializada em soluções de atendimento web para relacionamento entre empresas e clientes, a Ixia foi fundada em 2005.

Fundada em 1990, inicialmente focada no segmento de automação bancária, a Orion Informática oferece soluções para o mercado financeiro.

A PagPop utiliza um leitor de cartões que transforma o celular smartphone em uma máquina de passar cartões de crédito.

O SaúdeControle é uma empresa de arquivamento e gestão do histórico médico digital do paciente. Fundada em 2013, começou sua operação em janeiro deste ano.

A ação exige que as empresas paguem todas as despesas da viagem, como passagem, hospedagem, traslado e alimentação. A Softex arca apenas com os custos dos profissionais que organizaram as agendas e prepararam as reuniões.