BOLSA

GetNet: no meio do caminho

19/10/2021 05:13

Empresa é mais interessante do que a Cielo, mas ainda fica muito abaixo da Stone.

Getnet é de novo uma empresa independente. Foto: Divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

A GetNet fechou o seu primeiro dia como uma empresa independente na bolsa de valores B3 com um valor de mercado de R$ 7,3 bilhões, o que representa um múltiplo preço-lucro ao redor de 14,5x para 2022.

O múltiplo preço-lucro, é a relação entre quanto uma empresa lucra e quanto é o valor da ação. 

Quanto maior esse múltiplo, maior é a confiança dos investidores de que uma determinada empresa tem um futuro promissor e é uma aposta interessante.

Com 14,5x, a Getnet tem um múltiplo que é quase o dobro da Cielo, com 7,8x, mas fica muito abaixo de outros players no mercado de pagamentos como PagSeguro (29x) e Stone (43x).

No que tange ao valor de mercado, os investidores parecem ter avaliado a Getnet como um negócio muito mais próximo da Cielo do que da Stone.

O Neofeed revelou que um levantamento do Morgan Stanley sobre a Getnet feito no final do ano passado indicava valores de mercado que iam desde R$ 4 bilhões, se a Cielo for tomada como referência, a R$ 138 bilhões, se o parâmetro PagSeguro e Stone.

A explicação do valor de mercado, segundo investidores ouvidos pelo Brazil Journal, é que a Getnet é tida como uma empresa mais ágil que a Cielo, que é controlada pelo Banco do Brasil e Bradesco.

Por outro lado, ela segue ligada ao Santander, e, não se compara a empresas sem amarras como a Stone e o PagSeguro.

Um ponto interessante para os leitores do Baguete é que os investidores avaliam que Stone e PagSeguro tem um “core de tecnologia mais desenvolvido”, o que também conta na avaliação.

Parte do cacife digital da Stone vem da compra da Linx, um mega negócio de R$ 6,8 bilhões fechado em novembro de 2020, que deu à empresa uma grande base de clientes de software de gestão empresarial.

Como o mercado iria avaliar a Getnet em relação a esses outros players era o grande mistério da volta da companhia a uma atuação independente do Santander, que pagou  R$ 2,5 bilhões para comprar a empresa, em 2014 e 2018.

A GetNet tem um market share de 16% e lucrou R$ 188 milhões no primeiro semestre, o que a torna um concorrente viável para as grandes Cielo e Rede.

A empresa tem uma base instalada de 2 milhões de maquininhas, 876 mil clientes e processou R$ 183,2 bilhões em volume de pagamentos no primeiro semestre.

A Getnet também aumentou no mundo digital: sua participação da adquirente no comércio eletrônico saltou de 14% para 25%. Hoje, cerca de 30 mil lojas digitais usam soluções de pagamentos da Getnet. 

Completa o pacote uma plataforma de comércio eletrônico, desenvolvida em 2018 sob medida para a companhia pela Minestore, uma companhia de Curitiba especializada no assunto.

Em abril, a Getnet comprou a Eyemobile, catarinense focada no desenvolvimento de soluções de gestão para as vendas de pequenos e médios negócios, que também atua em eventos.

Veja também

CARREIRA
Cavalheiro sai da PagoNxt

Profissional participou da criação e desenvolvimento da Getnet desde o começo.

FINTECH
Ex-4all assume comercial da PagBrasil

Alexandre de Oliveira é o novo head de desenvolvimento de negócios da empresa.

PAGAMENTOS
Ebanx tem nova diretora comercial

Roberta Valle Caribé já trabalhou em empresas como Linx, Getnet e Rede.

DIGITAL
RNI vende imóveis 100% on-line

Incorporadora investiu R$ 1 milhão em solução de e-commerce da Accurate Software.

CARREIRA
Laux assume como CTO na Ateliware

Empresa de desenvolvimento de software foi o berço de startups como Minestore e Pipefy.

AQUISIÇÃO
Getnet compra Eyemobile

Catarinense fornece soluções de gestão para as vendas de pequenos e médios negócios.