Depois do cloud computing, vem o fog. Foto: Nickolay Khoroshkov/Shutterstock.

Foi formada hoje uma coligação de empresas que atuam no ecossistema da Internet das Coisas (IoT) chamada OpenFog Consortium. O grupo inclui as companhias AMR, Cisco, Dell, Intel, Microsoft e o Laboratório Edge da Universidade de Princeton. 

O objetivo do consórcio é acelerar a implementação de tecnologias Fog através do desenvolvimento de uma arquitetura aberta e tecnologias essenciais, incluindo as capacidades da computação distribuída, formação de redes e armazenamento. 

Os membros fundadores construirão estruturas e arquiteturas iniciais, com o objetivo de reduzir o tempo necessário para fornecer cenários IoT completos. A computação fog (neblina) distribui os recursos e os serviços da computação, comunicação, controle e armazenagem mais perto dos dispositivos e sistemas, junto ou perto dos usuários.

A associação OpenFog quer conduzir a indústria e as lideranças acadêmicas nas arquiteturas da computação em neblina com documentos técnicos, plataformas de testes e outros produtos que demonstrem as melhores práticas para a interoperabilidade entre as arquiteturas em nuvem e edge. 

O OpenFog Consortium quer construir as estruturas e arquiteturas iniciais até o início de 2016.

O mercado global da Internet das Coisas (IoT) deve crescer de US$ 655,8 bilhões em 2014 para US$ 1,7 trilhão em 2020, segundo projeção da IDC. 

A empresa acredita que o número de dispositivos conectados avançará de 10,3 milhões para mais de 29,5 milhões no mesmo período.