A CPFL Energia vai investir cerca de R$ 90 milhões em tecnologias de comunicação e sistemas. Foto: Divulgação.

A CPFL Energia vai investir cerca de R$ 90 milhões em tecnologias de comunicação e sistemas para modernizar seu Centro de Operação do Sistema (COS), criado há 40 anos.

Os investimentos estão sendo realizados em três projetos distintos. 

A iniciativa concluída mais recentemente foi a digitalização da comunicação entre operadores e as equipes de campo. 

Esse projeto contou com R$ 15 milhões aplicados em sistemas e aparelhos de rádio com tecnologia digital. O objetivo foi melhorar o desempenho e a qualidade da comunicação por voz entre os operadores e as 1,4 mil equipes de eletricistas em campo. 

O novo sistema de comunicação também possibilita a transmissão de dados e despacho das ordens de serviço, atuando como backup na falha do canal GPRS, hoje utilizado para a comunicação entre o sistema de despacho e smartphones das equipes.  

"Em uma situação de emergência, como um temporal, por exemplo, a comunicação clara entre os operadores e o eletricista em campo se traduz em mais segurança, agilidade e, na ponta, mais qualidade no fornecimento de energia para o cliente final", afirma o diretor de Operações da CPFL Energia, Thiago Freire Guth. 

Outro investimento em telecomunicações em fase de implantação no Centro de Operação do Sistema e também nos Centros de Operação Integrados, que atuam na rede de distribuição da CPFL, é a criação de uma estrutura própria de transmissão de dados entre subestações, religadoras e operadores. 

A empresa vai aplicar cerca de R$ 40 milhões em 2017 para tornar o COS e COIs independentes da rede GPRS (tecnologia de transmissão de dados utilizadas em aparelhos celulares).

Nesta fase de implantação, o sistema RF Mesh, que já conectava 26 mil medidores inteligentes de grandes clientes industriais e comerciais para a medição e o faturamento à distância, passará a interligar 3,7 mil religadores automáticos. 

O nível de disponibilidade da comunicação entre as equipamentos que já tiveram a tecnologia implantadas e o centro aumentou em 15 pontos porcentuais, permitindo com que este índice alcançasse 98%.

O COS deve receber outros R$ 35 milhões na implantação do projeto ADMS (Advanced Distribution Management System), projeto que está na fase de análise para contratação. 

O sistema vai unificar os quatro sistemas utilizados da operação (SCADA, OMS, DMS e EMS). Ao combinar as tecnologias, o sistema ADMS deve dar condições para a operação suportar as demandas estratégicas do grupo, além de melhor integrar as redes inteligentes.  

Atualmente, o COS controla 383 subestações próprias do grupo, acompanha outras 217 subestações de terceiros e opera 7,8 mil quilômetros de linhas de transmissão.

O sistema ainda monitora todas as demais conexões (clientes e linhas de terceiros) com o sistema elétrico das distribuidoras de São Paulo e é supervisionado por 22 operadores.

A CPFL Energia, há 104 anos no setor elétrico, atua nos segmentos de distribuição, geração, comercialização, serviços e telecomunicações. A empresa tem uma fatia de 14,3% do mercado de distribuição, totalizando mais de 9,1 milhões de clientes em 679 cidades em São Paulo, Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Paraná.

Na comercialização, tem uma participação de mercado de 14,1% na venda para consumidores finais entre as comercializadoras. Na geração, é o terceiro maior agente privado do país, com um portfólio baseado em fontes limpas e renováveis.