Funcionária da Amazon. Foto: Divulgação.

A Amazon é a empresa com iniciativas digitais mais maduras no Brasil, com nota 8,14, numa escala de 0 a 10.

É o que aponta uma lista elaborada pela E-Consulting, que pesquisou a opinião de mais de 800 lideranças entre CEO, CIOS e CMOS sobre 50 marcas, listando as 15 primeiras.

Para chegar ao resultado final, foram avaliados atributos como: ofertas digitalmente nativas, ações estratégicas inovadoras, jeitos de trabalhar, multicanais próprios, posicionamento e cultura digital.

Parece que o que contou mais para a posição da Amazon foi a imagem da empresa. De acordo com a E-Consulting, a razão da empresa ser a mais lembrada foi “a evolução da marca quando se pensa em transformação digital nos negócios”. 

“Tudo que é produzido pela Amazon denota inovação atrelada à faturamento, seja com publicidade, passando por streaming de vídeo, até rede de supermercados. A transformação digital é tangível e vista sob os olhos de todos mesmo para aqueles que não consomem os seus produtos”, completa Daniel Domeneghetti, coordenador do estudo e CEO da E-Consulting.

Olhando de uma maneira mais prática, o fato é que a Amazon, entrou no mercado brasileiro em 2012, com a venda de livros, seguindo a sua estratégia dos Estados Unidos. 

A empresa passou a operar com estoque próprio no Brasil, a partir de dois centros de distribuição em Cajamar, na grande São Paulo, só em 2018. Em 2019, lançou o Prime, serviço pelo qual o cliente paga uma mensalidade para ter acesso a frete gratuito e entrega em 48 horas.

Na análise do Brazil Journal, os temores de que a Amazon fosse destroçar a concorrência brasileira não se confirmaram. 

“O Brasil não é para amadores e, principalmente no varejo, não é pra gringo”, disse ao site um analista que acompanha o setor.

A Amazon não abre nenhuma informação relevante sobre sua presença no Brasil, mas analistas estimam que as vendas deveriam girar em torno de R$ 800 milhões em 2019, contra algo em torno de R$ 500 milhões em 2018.

O Magazine Luiza ficou na segunda posição, garantindo 8,12 pontos. A empresa tem investido forte em e-commerce, que já responde pela metade do faturamento, e tem invetido também em aquisições de startups da área.

O McDonald’s, o Mercado Livre e a Starbucks completam as cinco primeiras colocações do ranking, que pode ser conferido na íntegra abaixo.

Amazon

8,14

Magazine Luiza

8,12

McDonald’s

7,92

Mercado Livre

7,91

Starbucks

7,87

Reserva

7,82

Localiza

7,81

CVC

7,76

Cacau Show

7,72

Netshoes

7,67

Carrefour

7,59

RaiaDrogasil

7,55

Walmart

7,51

Pão de Açúcar

7,03

DPSP

6,96