ECONOMIA

Luz no fim (bem no fim) do túnel

20/03/2015 17:41

Se tudo der certo, Brasil volta a crescer no segundo semestre de 2016.

Marcelo Portugal.

Tamanho da fonte: -A+A

Existe uma luz no fim do túnel (bem no fim) para situação atual da economia brasileira: 2015 será dedicado a pagar os pecados dos quatros anos de “entusiasmo juvenil” do governo Dilma Rousseff com remédios amargos que abrirão a possibilidade de crescimento econômico a partir do segundo semestre de 2016.

A previsão é do economista Marcelo Portugal, consultor do Banco Sicredi e da Fecomércio-RS, e palestrante do Mesas de TI do Seprorgs nesta sexta-feira, 20.

Portugal fez uma dura crítica da política econômica do primeiro mandato de Dilma, na qual, na opinião do economista, a presidente se afastou das receitas econômicas ortodoxas das administrações de FHC e Lula em um prol de um intervencionismo econômico desastrado.

“Dilma foi como o adolescente que acha que pode fazer tudo”, brincou Portugal, ao criticar a visão de que o governo deve ser um indutor da atividade econômica e as políticas pelas quais a presidente tentou colocar isso em prática, como incremento dos gastos públicos, financiamento a “campeões nacionais”, incentivos tributários para setores escolhidos e quando a inflação passou a ser um problema, controle de preços.

Para Portugal, o estado da economia brasileira em 2014 (crescimento zero, inflação em alta e endividamento fora de controle) não deixaram a Dilma outra alternativa a não ser começar o ano fazendo exatamente o que disse que não faria nas eleições. 

“Entre a coerência e inteligência, elas escolheram a inteligência”, afirmou o economista, citando o caso venezuelano como um exemplo de que nem sempre essa é opção que prevalece. 

Agora, é esperar para ver se a presidente consegue suportar a pressão contrária que medidas como o aumento dos preços do combustíveis e energia, da carga tributária e os cortes no orçamento, somados com uma alta do desemprego já ao final do trimestre e a continuidade da inflação, acredita Portugal.

Caso o governo consiga levar as reformas econômicas a cabo, Portugal acredita em um crescimento na faixa dos 3,5% no segundo semestre de 2016. Até lá, se você ver uma luz no final do túnel, provavelmente é um trem vindo.

Veja também

NOMEADO
Aldo Rebelo é o ministro de C&T

Desde 2011, Rebelo era ministro dos Esportes.

ESCOLAS
Pronatec: governo atrasa pagamento

Depois da divulgação da informação, o Ministério da Educação liberou R$ 119 milhões para o programa.

GRAU DE INVESTIMENTO
Moody’s rebaixa nota da Petrobras

O rating de crédito corporativo da Petrobras foi rebaixado em dois graus (de Baa3 para Ba2).

GRAU DE INVESTIMENTO
Rebaixamentos vão além da Petrobras

27 empresas do país tiveram queda nos ratings, enquanto nenhuma apresentou alta nas avaliações.

GOVERNO
Finep tem novo presidente

O cientista político Luís Manuel Rebelo Fernandes foi nomeado nesta quarta-feira, 11.

INICIAÇÃO CIENTÍFICA
Fapergs escapa dos cortes no RS

A Fapergs vai investir R$ 9,6 milhões em pelo menos 1,9 mil estudantes de graduação.

SECOM APONTA
Dilma perde de WO nas redes sociais

Estudo da Secretaria de Comunicação do Governo Federal mostra que a oposição está vencendo nas redes sociais.

CORTES
Orçamento da TI encolhe na SDECT

O governo destinará R$ 6,5 milhões para a SDECT, união das antigas SCIT, SDPI e Sesampe.