Walter Longo, presidente do Grupo Abril. Foto: Divulgação.

O Grupo Abril lançou a GoBox, uma plataforma de clube de assinaturas de produtos, que surge com investimento de R$ 20 milhões. A expectativa é que a nova unidade de negócios alcance cerca de 200 mil assinaturas e fature R$ 250 milhões em três anos.

O resultado esperado pela Abril tornará a GoBox a terceira maior fonte de receita da Abril Mídia.

As marcas que utilizam a GoBox para o clube contam com investimento na divulgação dos produtos nas revistas, sites e redes sociais da Abril; produção de conteúdo segmentado; domínio logístico completo, do manuseio à entrega de mais de 770 milhões de itens por ano por meio da Total Express, além da Gráfica para a impressão de embalagens.

Com a curadoria das marcas da Abril, o GoBox oferecerá opções de caixas com produtos de marcas parceiras entregues periodicamente na casa do consumidor. 

Segundo a empresa, estão em desenvolvimento clubes de empresas como Pampers, Eataly, Pantene, Disney e Via Verde.

O GoBox reunirá assinaturas de diversas categorias de produtos, como moda, beleza, fitness, gastronomia, geek, infantil e pet. De acordo com o plano de assinatura escolhido, o valor pode variar entre R$ 20 e R$ 250 mensais. Alguns modelos, no entanto, podem ter assinaturas trimestrais, de acordo com o tipo de produto, o valor e a estratégia do parceiro.

As caixas também terão conteúdos produzidos pela Abril, com informações que contribuam para a experiência e consumo de cada tipo de produto.

Para o presidente do Grupo Abril, Walter Longo, o GoBox reúne a essência de tudo o que faz parte do core business da empresa, o que irá representar um grande diferencial para os parceiros. 

“Os pilares do GoBox são formados por uma excelente base de dados, associada à mídia e distribuição. É tudo o que a Abril tem de melhor, seja por meio do serviço de assinantes, de nossas marcas e publicações e da distribuição”, afirma Longo. 

A experiência de negócios da Abril parece ser um argumento atraente para as empresas, visto que o negócio conquistou nomes grandes, como a Pampers, mesmo chegando relativamente tarde ao mercado. O modelo de entregas mensais de produtos explodiu em todo o mundo nos últimos anos, com mais de 10 mil empresas atualmente.

No Brasil, mais de 1 mil empresas trabalham com a proposta de assinaturas. Juntas, elas previam um faturamento de R$ 1  bilhão para2015, o dobro do valor conquistado no ano anterior, segundo um levantamento realizado pela Exame.

Outra empresa de comunicação que investe no meio é a RBS, por meio do seu braço digital e.Bricks. O grupo é sócio da Wine, e-commerce de vinhos que criou em 2010 o programa ClubeW, um dos mais bem sucedidos do setor no Brasil. 

Em 2013, a Wine comprou parte da loja eletrônica Have a Nice Beer (rebatizada de ­WBeer), que adota um formato semelhante de assinaturas de cervejas.