O 100 Open Angels vai selecionar 25 empresas para rodadas de investimentos-anjo de R$ 1,5 mi cada. Foto: Pexels.

O movimento 100 Open Startups, plataforma que conecta empresas nascentes a grandes companhias, agora conta com o 100 Open Angels, um programa de estruturação de co-investimento entre rede de investidores-anjo e fundos institucionais.

A ideia é impulsionar aportes nas startups ranqueadas pelo programa. A iniciativa vai selecionar 25 empresas para rodadas de investimentos-anjo de R$ 1,5 mi cada. 

O levantamento foi feito com base na Rede de Avaliadores do movimento, formada por mais 15 mil pessoas com perfis profissionais ligados ao ecossistema, como executivos de grandes companhias, empresários e investidores-anjo. 

Do total de avaliadores, 2 mil já investiram em startups e grande parte participa da plataforma com o objetivo de encontrar empresas para investir. 

O movimento mantém ativas mais de 8 mil startups classificadas em cinco níveis de atratividade para o mercado. Dentre as 600 que estão no nível 5, ou seja, que já possuem relacionamento formalizado com grandes corporações, 200 declararam ter interesse em captar rodada-anjo, na faixa de R$ 1 milhão, nos próximos 6 meses.

A nova plataforma busca apoiar empreendedores e investidores na estruturação de co-investimentos, facilitando a conexão que ocorre na rede. 

Desde a criação da plataforma, em 2015, foram gerados mais de 5 mil negócios entre startups e corporações e captados mais de R$ 200 milhões em investimentos, em 240 empresas do programa.

"A informação sobre a atratividade das startups para uma rede com mais de 1, 1 mil médias e grandes empresas e cerca de 2 mil investidores-anjo auxilia investidores a decidir pelo investimento com muito mais objetividade”, comenta Bruno Rondani, CEO e fundador do movimento.

No 100 Open Angels, startups do Ranking 100 Open Startups, avaliadores e fundos de investimento poderão se qualificar para as rodadas, selecionando-se mutuamente, a partir de matchmaking online e encontros rápidos presenciais. 

A operacionalização do investimento se dará a partir da Basement, plataforma de investimento com mais de 3 mil investidores ativos e R$ 30 milhões captados, regulada pela CVM (Comissão de Valores Mobiliários).

As startups, por intermédio do 100 Open Angels, terão acesso a um programa de 12 meses de aceleração de negócios para explorar ao máximo o efeito de rede com os investidores. 

As interessadas têm até o dia 31 de maio para submeter os dados para Ranking Top 100 Open Startups e efetuar a inscrição no programa 100 Open Angels.