Ricardo Vaz. Foto: divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

A goiana DR Sistemas, especializada em ERP para concessionárias e montadoras de automóveis, aposta na expansão regional para crescer 40% sobre os R$ 15 milhões faturados em 2012, quando a alta foi de cerca de 8%.

No projeto de expansão, a abertura de uma filial em São Paulo já deu a partida, e a próxima parada é Porto Alegre, onde a DR desembarca com canal em julho.

Depois virão Paraná, Minas Gerais e Rio de Janeiro, ainda em 2013.

No comando da capilarização está Paulo Carvalho, diretor de Canais e Relacionamento com o Mercado da companhia. Ex-diretor da leopoldense Gvdasa, ele conhece bem o mercado gaúcho.

“A escolha por Porto Alegre se dá em função do mercado potencial muito grande. Temos a Região Metropolitana, a Serra, o interior, com muita presença de players do setor automotivo”, ressalta Carvalho.

Segundo o executivo, o mote para abocanhar o mercado local, onde a companhia concorre com ERPs de renome que ele prefere não nominar, é a especialização.

“Um ERP geral pode gerir sua empresa automotiva, mas é como comprar autopeças em uma grande loja de departamentos. Eles têm de tudo, mas se você precisar de atendimento técnico ou específico, ficará na mão, pois não são especialistas”, avalia o diretor.

Conforme o presidente da DR, Ricardo Vaz, mais de 1 mil clientes utilizam as soluções da DR atualmente, em uma lista que inclui nomes como Audi e Volkswagen.

Um segmento para o qual o executivo é enfático ao destacar a importância da atualização constante das soluções, o que a DR mantém com o lançamento de updates de versão a cada três meses, em média.

Tudo para acompanhar as mudanças rotineiras em impostos, regras e outros trâmites do setor.

“Não podemos descuidar: estamos lidando com o maior mercado do país”, salienta Carvalho. “Basta ver que chega-se a medir o crescimento do país pelo setor automotivo”, finaliza.

Dados embasados: conforme estudo conduzido pela professora Nara Roehe, especialista em políticas industriais para o setor automotivo e doutora pela PUC-RS, a pedido do Estado de São Paulo, a fatia do setor automobilístico no PIB brasileiro cresceu 45,6% em 11 anos, passando de 12,5% em 2000 para 18,2% em 2011.

Já a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) idica que  em 2012 o Brasil tinha 53 fábricas de 26 montadoras espalhadas por nove estados, somando 3,3 milhões de unidades produzidas, o que garante o sexto maior produtor do mundo.

Em vendas, o país é o quinto no ranking mundial, segundo a consultoria Jato Dynamics.