Prysmian e Ômega integram o projeto que levará internet banda larga a 12 municípios do Pará. Foto: ANA.

A Prysmian Brasil, que atua com cabos e sistemas para os setores de energia e telecomunicações, acaba de fechar um contrato de R$ 2,5 milhões com a Ômega para o fornecimento de fibra óptica em um projeto que levará internet banda larga a 12 municípios do Pará, na região amazônica do Xingu.

A iniciativa faz parte do projeto Xingu Conectado, desenvolvido por Telebras e Prodepa, em uma ação entre o governo federal e o estado do Pará. 

O objetivo é implantar uma rede de fibras ópticas de alta capacidade de cerca de 400 quilômetros, para interligar os municípios de Altamira, Anapu, Brasil Novo, Gurupá, Medicilância, Pacajá, Placas, Porto de Moz, Senador José Porfírio, Uruará, Vitória do Xingu e São Feliz do Xingu.

A rede de banda larga, que vai beneficiar cerca de 600 mil pessoas, contará com uma capacidade de 10 Gbps expansíveis. A infraestrutura será compartilhada com as operadoras e provedores da região.

Os cabos ópticos são produzidos na planta da Prysmian em Sorocaba. A entrega deverá ser concluída ainda em setembro deste ano. 

“A participação da Prysmian neste importante projeto reforça ainda mais nossa posição de liderança no mercado de fibras ópticas, além de ser um reconhecimento pela capacidade de inovar e entregar soluções completas aos nossos clientes”, comenta Reinaldo Jeronymo, diretor de telecomunicações da Prysmian Brasil.

O Grupo Prysmian tem quase 140 anos de experiência. A empresa fechou vendas de cerca de € 7,5 bilhões em 2016. Com mais de 21 mil funcionários, a companhia está presente em 50 países com 82 fábricas.

No mercado sul-americano, a empresa está presente desde 1917 e possui unidades na Argentina (1), Brasil (7) e Chile (1), além de escritórios comerciais.