Mais de 112 mil pessoas se inscreveram para o Express Entry. Foto: David Franklin/Shutterstock.

Mais de 112,7 mil pessoas se inscreveram para a residência permanente no Canadá a partir do novo sistema de imigração introduzido em janeiro, o Express Entry. No entanto, apenas 1 em cada 10 candidatos conseguiu obter um convite para viver no país.

Apesar da promessa de que novo programa permitiria rápido processamento e entrada no país dentro de seis meses, apenas 844 vistos de residentes permanentes foram emitidos no primeiro semestre, incluindo membros de uma mesma família.

Desde o início do Express Entry, apenas 411 pessoas realmente estão no Canadá devido ao programa.

Mais de 85% dos 12.017 candidatos selecionados para obter o visto já estavam no Canadá com autorizações temporárias no momento da aplicação - relacionadas a estudo, por exemplo. 

Os cinco principais países de origem dos candidatos são Índia, Filipinas, Reino Unido, Irlanda e China.

"O número de 844 vistos é realmente considerado um programa bem-sucedido? Com mais de 85% dos convites sendo feitos para os candidatos que já residem atualmente no Canadá… O mundo realmente está interessado no Canadá ainda?", questiona Shoshana Green, advogada de imigração em Toronto, em entrevista ao Toronto Star.

Com o novo sistema de imigração em duas etapas, todos os candidatos são selecionados para entrar na seleção e, em seguida, são avaliados uns contra os outros para terem a possibilidade de obter um convite para a residência permanente.

O novo sistema permite que as empresas sejam conectadas com candidatos qualificados através de banco de empregos do governo federal. Eles podem empregar os trabalhadores selecionados a partir do Labour Market Impact Assessment (LMIA), um certificado para provar que a posição não pode ser preenchida por um canadense.

Um candidato pode ganhar um máximo de 1.200 pontos. Um LMIA registra automaticamente 600 pontos. Os outros 600 pontos são concedidos para atributos pessoais, como nível de educação, competências linguísticas e experiência de trabalho.

"Apenas os candidatos mais altos do ranking são convidados a preencher um pedido de residência permanente", diz o relatório do governo, acrescentando que a Express Entry "aumenta a capacidade de resposta do sistema de imigração ao mercado de trabalho".

Nos primeiros seis meses do programa, foram realizadas 11 rodadas de convites, com as notas de corte variando de um mínimo de 453 a um máximo de 886. Cerca de 70% das pessoas que receberam um convite tinham uma pontuação acima de 600 pontos, ou seja, a maioria está imigrando a partir de uma oferta de trabalho já consolidada.

Críticos do programa argumentam que o cumprimento da nota de corte de seleção não significa necessariamente que o convidado para imigrar é o melhor candidato, pois o sistema favorece os interessados que tenham obtido o LMIA.

Alguém com uma pontuação total de 649, por exemplo, com 600 pontos do emprego e apenas 49 de qualificações pessoais, pode ser um candidato mais fraco do que alguém com 599 pontos que ganhou a pontuação estritamente a partir de seus atributos pessoais.