Nomes de peso do mercado de tecnologia se reuniram para fundar o Icolab. Foto: Divulgação.

Nomes de peso do mercado de tecnologia se reuniram para fundar o Icolab, instituto voltado para a tecnologia de blockchain. A iniciativa é presidida por Sandra Heck, que já foi diretora da Sonda IT, CIO da Artecola e gerente de projetos de TI da AES Brasil.

A diretoria da nova organização conta ainda com Eliziel Rodrigues (CTO da HC Gestor), Fábio Junges (Diretor da Teevo) e Carlos Lopes (consultor sênior, business broker e RMP da Ballcons Consultoria).

O Icolab tem ainda um conselho fiscal, presidido por César Loeffler (sócio da César Loeffler Advogados Associados). Entre os dez conselheiros estão nomes como Jorge Krug, diretor de tecnologia do Banrisul; Marison Souza, cofundador da Maven; Cristiano Machado, gerente de TI do Grupo Boticário e Valquiria Guedes, que atua na área de marketing da Unicred.

A organização surgiu a partir do Blockchain CoLab, iniciativa lançada no ano passado para promover colaboração na área de blockchain entre a Unisinos e as empresas Unicred, South System e SkyID.

“No final de 2018, um grupo mais envolvido com as atividades do laboratório viu a necessidade de criar um arranjo institucional organizado para atender uma demanda de mercado no segmento, por isso foi fundado o Icolab”, detalha Sandra Heck, presidente do instituto Icolab.

A nova empresa atua com três unidades: aprendizado, projetos e plataforma

No núcleo de aprendizado, a organização oferece treinamentos e capacitações, além de promover eventos gratuitos para discutir as possibilidades do blockchain e apresentar conhecimento sobre o tema.

Já a área de projetos funciona como uma mentoria para empresas interessadas em trabalhar com blockchain. O grupo atua em passos como identificação do problema, entendimento da aplicabilidade de tecnologia, identificação de uma rede de incentivo, realização de experimentos e projetos de negócio envolvendo blockchain, entre outras ações.

A empresa ainda trabalhará como uma plataforma para conectar a demanda e a oferta do mercado por projetos ligados a blockchain.

“Com o Icolab é possível gerar valor em rede por meio da aplicação dos múltiplos conhecimentos para resolver desafios e explorar oportunidades de novos modelos de negócios. Acreditamos que o caminho para vencer passa pela inovação aberta, que basicamente é uma estratégia de colaboração onde pessoas e empresas realizam trocas para crescerem juntas”, destaca Heck.

O grupo fundador reúne mentores de diversas áreas de atuação, como negócios, tecnologia, direito, governança, risco, compliance e gestão. 

Com a nova estrutura, o grupo não tem mais vínculo com a Unisinos. Agora, está presenta na Fábrica do Futuro, espaço aberto em 2019 e localizado no 4º Distrito, em Porto Alegre.

O ambiente de 4 mil quadrados reúne coworking, salas privadas para startups, estúdios de gravação e uma série de outros serviços. A ideia da Fábrica do Futuro é reunir empresas e atividades ligadas à arte, cultura e tecnologia.