4G e melhoria do sinal puxam os investimentos. Foto: flickr.com/photos/nnova.

O ritmo acelerado expansão da rede de telefonia e dados no Brasil, sem contar a chegada do 4G resultará em um investimento de aproximadamente R$ 72,9 bilhões de 2011 até 2015. O levantamento, baseado nas estimativas das operadoras Telefônica/Vivo, Oi, GVT, TIM e Claro, foi realizado pela Tendência Consultoria Integrada.

Segundo destaca matéria do Valor, a estimativa das operadoras para 2011 e 2012 eram de aplicar aproximadamente R$ 39 bilhões. Para os anos seguintes, os aportes chegam a R$ 34 bilhões.

Para o órgão de consultoria Teleco, a previsão dos investimentos é superior. De 2011 a 2014, o setor devem registrar um investimento acumulado de R$ 95,1 bilhões. Do total, R$ 47,7 bilhões seriam aplicados nos próximos dois anos.

Conforme as operadoras, o plano de investimentos traçado está em acordo com as determinações da Anatel, cobrindo as metas exigidas para a melhoria do serviço e também com espaço para investimentos na criação de novos produtos.

"Uma parte da infraestrutura necessária para instalação nacional dos serviços de 3G e 4G já foi instalada entre 2011 e 2012, e as operadoras têm saúde financeira para bancar os investimentos previstos", afirma Camila Saito, analista da Tendências.

Segundo destacam analistas, as operadoras não precisariam investir tanto se o objetivo fosse apenas atender aos compromissos estabelecidos pelo governo.

Um exemplo são os aportes feitos pelas teles na área de banda larga fixa, que não são obrigatórios, mas são produtos de peso no portifólio das empresas, que podem oferecer pacotes com produtos casados - o chamado triple-play.

No entanto, expandir esta estrutura é muito mais caro, pois instalar redes de fibra óptica em 80% a 90% das residências do país, o que custaria, no mínimo, R$ 100 bilhões, afirma Eduardo Tude, presidente da Teleco.

"Hoje, não adianta implantar toda essa estrutura porque o smartphone com 4G custa mais de R$ 2 mil e a maioria da população não tem dinheiro para adotá-lo rapidamente", diz o consultor.

OPERADORAS

Segundo Tude, Oi e GVT devem fazer os maiores investimentos, buscando um maior espaço para competir com operadoras mais consolidadas no mercado, como Vivo e Claro.

Já a Claro está focando seus esforços na oferta de 4G, lançado oficialmente em dezembro, na tentativa de manter a imagem de empresa inovadora e isso deve trazer algum resultado positivo nos próximos meses, afirma o analista.

A Telefônica/Vivo, anunciou até 2014 um investimento total de R$ 24,3 bilhões, destinados à ampliação de modernização das redes móveis e fixa. Isso inclui expansão da rede de fibra óptica, da rede 3G+ e implementação de 4G.

A Claro deve aplicar R$ 6,3 bilhões até 2014, para melhorar os serviços e completar a implantação de 4G. Deste valor, cerca de R$ 510 milhões devem ser investidos até março de 2013.

O investimento da Oi até 2015 está estimado em R$ 24 bilhões, segundo revelou a própria companhia. Em 2012, somente no Rio Grande do Sul a empresa realizou um investimento de R$ 331 milhões.

A GVT anunciou um plano de investimentos de R$ 2,5 bilhões ao ano até 2017, focado na expansão da rede óptica, IPTV e videoconferência em alta definição.

A meta da TIM é realizar aportes de R$ 9,5 bilhões entre 2012 e 2014.