GESTÃO

Ricardo Eletro unificada com Oracle

20/12/2016 15:18

Ricardo Nunes, fundador da Ricardo Eletro. Foto: Divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

A Máquina de Vendas decidiu unificar os diferentes softwares de gestão das suas marcas no país Insinuante, City Lar, Salfer e Eletroshopping, agora unificadas sob o nome e os sistemas da Ricardo Eletro.

O projeto foi implantado com consultoria da paranaense BRX Retail. que já atende grandes clientes Oracle no varejo brasileiro como Lojas Renner e Pão de Açucar.

O processo envolveu 900 lojas e 12 centros de distribuição em apenas seis meses.

A Ricardo Eletro é o embrião da Máquina de Vendas e uma usuária de Oracle Retail desde 1998.

Mesmo assim, a migração para Oracle não foi uma decisão automática, destaca Edson Tavares, CIO da Ricardo Eletro, explicando que foram avaliados os sistemas das outras empresas e de mercado.

"Precisávamos colocar a casa em ordem para ganhar eficiência e estabelecer uma base para a unificação. A Oracle se destacou em vários módulos que já utilizávamos na Ricardo Eletro e se sobressaíram em novos módulos que optamos", explica Tavares.

Foram implementados o Oracle Retail Merchandising System e Oracle Retail Fiscal Management. 

Junto com unificação da marca da Ricardo Eletro e sistemas, também foi feito um orçamento base zero e adotadas as melhores práticas e as amplas funcionalidades para o varejo da Oracle Retail e Oracle E-Business Suite.

A redução de despesas é estimada pela Máquina de Vendas em R$ 40 milhões por mês.

Como próximo passo, a empresa pretende alavancar a tecnologia e escala da Oracle com a implementação do Oracle Hyperion Planning Resources, que já está em fase de homologação e será utilizado como plataforma para o orçamento para 2017.

Em nota, a Oracle não chega a mencionar quais sistemas foram substituídos. A reportagem do Baguete averiguou que a Eletro Shopping, por exemplo, fez uma implantação de sistemas da Senior ainda em 2013, quando já havia sido adquirida pela Máquina de Vendas.

Em seu site, a B Seller, uma companhia paulista de software de gestão para e-commerce, aponta ter entre seus clientes marcas da Máquina como Ricardo Eletro, Insinuante, City Lar e Eletroshopping.

A transformação tem seus motivos. De acordo com informações do Estado de São Paulo, o faturamento da Máquina de Vendas caiu cerca de 10% em 2015, totalizando cerca de R$ 7 bilhões. Para este ano, era prevista uma nova queda, de 4%.

A empresa quer reverter a situação cortando custos com a unificação das marcas, e também apliando as vendas online.

Hoje, as vendas online representam 20% do faturamento. Em abril, a companhia anunciou que a meta era fechar 2016 com 30%. 

Veja também

ATENDIMENTO
Mutant adquire CCM7

A companhia desenvolve soluções para gestão e otimização de força de trabalho.

B2C
FS vende app Hero na Ricardo Eletro

A ideia é oferecer proteção digital aos consumidores no momento da compra de dispositivos.

SOFTEXPERT
Randon Consórcios adota SE Suite

A solução foi implantada pela ITSX, parceira da SoftExpert.

DROGARIA
Rede Campeã adota WMS com Procfit

A ferramenta foi integrada com o sistema de ponto de venda da Platin.

NOVIDADE
Agiplan lança pagamento eletrônico

Aplicativo permite fazer transferências de dinheiro no celular.

EXCLUSIVO
São João implanta SAP com Meta

A rede de farmácias São João tem 530 lojas espalhadas pela região Sul do país.

EUA
CEO da Oracle integra time de transição de Trump

Safra Catz participou de uma reunião entre Trump e líderes do segmento de tecnologia.