CIP-300, da Smiths Detection. Foto: divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

A Smiths Detection colocou no mercado um scanner de raio X de baixo consumo de energia para a detecção de explosivos, drogas, contrabando e passageiros clandestinos escondidos em automóveis, veículos comerciais leves e micro-ônibus, o CIP-300.

O equipamento usa uma fonte de 300 kV de raios X, menor exposição do que a de um scanner de carga de grande porte, permitindo que motoristas e passageiros permaneçam sentados em seus veículos.

O aparelho pode ser instalado em locais onde existe necessidade de aumentar a segurança, mas a implantação de equipamentos de alta energia não é adequada ou possível, podendo ser aplicado em áreas operacionais como pontos de controle de fronteiras, entradas de aeroportos, infraestrutura crítica, instalações militares e portos.

Além disso, ele oferece características de representação de imagem avançada, incluindo discriminação de tipo de material e de funções de avaliação.

Segundo a companhia, o equipamento proporciona melhor visão do veículo e do seu conteúdo, além de uma imagem detalhada do chassi do veículo aumentando a sua capacidade para detectar materiais ilegais.

Para as regiões que possuem regulamentos que proíbem esse tipo de configuração - chamado de drive-through, a empresa também criou uma versão do equipamento com sistema opcional de transmissão que permite a inspeção de veículos não tripulados.

"Esta próxima geração de scanner de baixa energia facilitará a inspeção de veículos, pois combina alta qualidade, confiabilidade, facilidade de operação e versatilidade. O equipamento claramente preenche uma lacuna importante nas exigências dos clientes” comenta Mal Maginnis, Presidente Global da Smiths Detection.