Mark Cerny apresenta o novo controle do PS4. Foto: flickr.com/photos/apoyopublicacion

A Sony preparou um grande evento nesta quarta-feira, 21, para apresentar ao mundo o Playstation 4, a mais nova geração de sua linha de consoles de videogame.

Com lançamento previsto para o final do ano, o PS4 chega para revitalizar a posição da Sony no mercado de jogos eletrônicos, campo em que concorre com a Microsoft, que deve apresentar em breve o seu novo Xbox.

Em depoimento ao UOL Jogos, o CEO da Sony Computer Entertainment para a América Latina, Mark Stanley o plano da empresa é lançar o aparelho no Brasil simultaneamente ao mercado norte-americano.

No entanto, questões como a homologação da Anatel e processos de importação podem atrasar o lançamento.

Segundo especificações divulgadas pela Sony, o novo videogame apresentará uma arquitetura baseada em um chip AMD Jaguar de oito núcleos, com estrutura semelhante a de um PC, processador gráfico AMD Radeon e 8GB de memória RAM GDDR5.

A fim de comparação, vale dizer que na geração atual de videogames, o Playstation 3 conta com 256MB de RAM dedicada e o Xbox 360 tem 512MB dividida com o processador gráfico.

Recursos utilizados no PS3 devem voltar revisados, como conexão wireless e drive de blu-ray para jogos e filmes. A Sony desmentiu rumores que os blu-rays contariam com um software que restringiria os discos para apenas um console.

A fabricante não confirmou detalhes de armazenamento interno, mas analistas esperam um HD turbinado, com modelos de 500GB e 1TB para suportar o aumento da venda de conteúdos digitais.

O console também suportará games via streaming, usando o serviço de nuvem da Gaikai, empresa comprada pela Sony em 2012.

A Sony também adiantou um lineup de aproximadamente dez jogos para o lançamento do console. No entanto, na Electronic Entertainmet Expo (E3), mais títulos devem ser anunciados.

Na feira, que ocorre em junho em Los Angeles, também serão anunciados outros detalhes como o visual do console, modelos e preços. Segundo o site especializado Kotaku, o aparelho deve ter modelos por US$ 429 e US$ 529.

De hardware, pelo menos o novo joystick, o Dualshock 4, foi apresentado, contando com recursos de movimento, touchpad integrado, alto falante embutido e entrada para fones de ouvido.

O console também terá uma nova versão da câmera Playstation Eye, que terá duas lentes de 1280 x 800 e quatro microfones, rivalizando com o Kinect, da Microsoft.

Conforme destacou o arquiteto-chefe do PS4, Mark Cerny, um dos focos da novo videogame é a interação e personalização com o uso de plataformas sociais.

Os jogos contarão com compartilhamentos e convites de partidas em tempo real, integrados à Playstation Network, mas com suporte a redes como Facebook e Twitter.

No PS4, será possível assistir aos jogos de amigos e conversar com eles em tempo real, dando dicas sobre a partida.

O uso do portátil Playtation Vita como "terceira tela", recurso presente no PS3, continuará no novo console, com mais funcionalidades, afirmou a Sony.

E AGORA, MICROSOFT?
Com o anúncio do PS4, os japoneses agora jogam a bola para a Microsoft, que deve apresentar o novo Xbox - que possivelmente trocará o 360 do nome pelo previsível 720 - na E3.

Segundo destacam analistas, a Microsoft tem um pepino pela frente, já que a agora a obrigação de aparecer com um console ainda melhor ficou para ela.

Em 2005, a empresa de Redmond virou uma pedra no sapato da Sony, lançando o Xbox 360 um ano na frente do PS3 e ocupando o mercado da geração atual.

Outro erro da Sony na época foi inflar o preço do console, que custou US$ 600 dólares em seu lançamento. Confiando no poder da marca, devido ao sucesso do Playstation 2, a empresa teve vendas decepcionantes nos primeiros anos do PS3.

Somente nos últimos três anos a Sony recuperou o prejuízo, inclusive passando o Xbox nas vendas mundiais, com 77 milhões de unidades vendidas.

O desafio da Sony, no entanto, é recuperar o rentável mercado norte-americano, onde ainda perde para a Microsoft.

Nos Estados Unidos, o Xbox ainda tem larga vantagem, com cerca de 20 milhões de consoles vendidos, enquanto o PS3 figura na casa dos 14 milhões.