James Heppelmann. Foto: Baguete.

Tamanho da fonte: -A+A

A PTC, especializada em software de gestão de projetos e de produtos para os setores corporativo e industrial, fechou o segundo trimestre fiscal, encerrado em 30 de março de 2013, com receita de US$ 315 milhões, alta de 4% sobre o mesmo período do ano anterior.

Segundo James Heppelmann, presidente e CEO da PTC, os resultados foram impulsionados pela Servigistics, que foi adquirida em outubro de 2012 e contribuiu com US$ 21 milhões na receita do 2T13, e 24 grandes negócios fechados no período com clientes como Airbus, Astrium, Cummins, Nasa e outros, que somaram mais de US$ 1 milhão em novas licenças de produtos e serviços.

O total do trimestre com venda de licenças foi de US$ 80 milhões, aumento de 7% ano/ano.

“Em termos geográficos, tivemos um trimestre bastante forte no Japão e um crescimento sólido na região do Pacífico, o que compensou os resultados registrados na Europa e nas Américas”, destaca Heppelmann.

No Brasil, o diretor da PTC para a América Latina, Hélio Samora, informa que foram fechados três grandes negócios no segmento de PLM no trimestre, somando mais de R$ 1 milhão.

Para manter o bom andamento, a empresa está ampliando o quadro operacional local.

Só para atender a Embraer, por exemplo, com a qual a PTC fechou negócio fechada em dezembro do ano passado, já foram contratados mais de dez profissionais, além da abertura de um escritório em São José dos Campos.

“No ano passado, tivemos um aumento significativo das vendas da nossa solução de PLM, o PTC Windchill, o que contribuiu para um crescimento da ordem de 30% nos negócios realizados no país”, afirma Samora.

Além do PLM, a PTC projeta incrementar os negócios na linha Creo, sua solução para design mecânico (CAD/CAM/CAE).

“Estamos empenhados em mostrar para os que já são nossos clientes as vantagens de migrarem do Pro/Engineer para o Creo e também para aqueles que utilizam CADs de outros fornecedores a substituir a solução pela nossa”, ressalta o diretor para a AL.

Conforme Samopra, muitas empresas que apostaram no Creo têm registrado ganhos de produtividade superiores a 60%.

Para o ano fiscal de 2013, a PTC projeta receita global da ordem de US$ 1,31 bilhão.