Thomas Ebling, presidente da Perto

Tamanho da fonte: -A+A

A Perto, fabricante gaúcha de caixas automáticos, vai instalar sua fábrica na Índia em Jaipur, cidade de três milhões de habitantes localizada no noroeste do país, a 250 km da capital, Nova Déli.

A decisão de construir uma fábrica já havia sido adiantada pelo Baguete Diário em março, quando a reportagem do portal conversou com Thomas Ebling, presidente da companhia, na Cebit em  Hannover.

O objetivo da nova planta, que terá um investimento de US$ 60 milhões e uma capacidade de produção de 600 a 800 ATMs por mês, é atender às exigências específicas do mercado local. As obras devem ser iniciadas no começo de 2013.

Jaipur é um dos destaques da economia indiana, com infraestrutura acima da média do país e grande presença de multinacionais, incluindo centros de desenvolvimento para a área financeira de companhias como Infosys, TCS, Wipro e Deutsche Bank, além de outros nomes como Bosch, Coca Cola, IBM e Ericsson.

A nova planta terá o mesmo tamanho da atualmente instalada em Gravataí, mas produzirá equipamentos menos sofisticados e com características especiais focadas no mercado local.

Em Jaipur, serão montados os ATMs, cujos módulos mais sofisticados, como as telas e o dispensador de cédulas, seguirão sendo fabricados no Brasil.

Em 2011, a Perto comercializou mais de 2 mil terminais de autoatendimento para a Índia, país que possui um mercado com nível de automatização bancária baixo, se comparado com o brasileiro.

Com uma população seis vezes maior que a brasileira, o país tem 75 mil caixas automáticos instalados no país, contra 200 mil do Brasil.

“O governo indiano está fazendo um grande esforço para identificar toda a população e melhorar o pagamento de benefícios sociais. A única maneira de atender a demanda é com automação”, explica Elbling.

GRAVATAÍ
Enquanto não iniciam as obras na Índia, avançam as de ampliação da fábrica de terminais bancários em Gravataí.

Ao total serão investidos R$ 38 milhões, sendo R$ 26 milhões destinados à compra de equipamentos de altíssima precisão e os outros R$ 12 milhões aplicados na ampliação da área construída de 33 mil metros quadrados para 41 mil metros quadrados.

O investimento faz parte da estratégia da empresa de seguir sua trajetória de crescimento no setor bancário, responsável por 60% da sua receita bruta, e de atuar de forma mais agressiva no mercado de varejo, que hoje representa 10% do faturamento, e de serviços, como assistência técnica, que respondem pelos 30% restantes. A nova estrutura deve estar concluída no inicio de 2013.

A Perto faturou R$ 320 milhões em 2011.