INFRA

Neoenergia: hiperconvergência com Nutanix

21/06/2021 17:51

A integradora Populos foi responsável pelo projeto em quatro subsidiárias da companhia.

A Neoenergia está presente em 18 estados e no Distrito Federal. Foto: divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

A Neoenergia, companhia de energia elétrica controlada pelo grupo espanhol Iberdrola, adotou soluções de hiperconvergência da Nutanix, especializada em computação em nuvem privada, híbrida e multicloud, com implementação da integradora Populos, de São Paulo.

Até então, a Neoenergia utilizava uma arquitetura tradicional de três camadas e um de seus principais gargalos era a complexidade de gerenciamento do ambiente distribuído por diversas subsidiárias.

Assim, o objetivo do novo projeto era centralizar em uma única plataforma todos os processos internos voltados à operação do sistema elétrico e infraestrutura tecnológica de quatro subsidiárias: a Celpe, em Pernambuco; a Coelba, na Bahia; a Cosern, no Rio Grande do Norte; e a Elektro, em São Paulo e Mato Grosso.

Além disso, era necessário contar com uma solução que atendesse às exigências do negócio, otimizando a performance no fluxo e cruzamento de dados, especialmente para a área de Tecnologia Operacional (TO) — principal usuária do sistema, junto com parceiros da Neoenergia. 

Para a implementação de uma infraestrutura de 68 nós, divididos entre as quatro concessionárias e conectados entre si, foram necessários 45 dias. Os usuários não tiveram modificações significativas na interface e continuam utilizando um sistema ao qual já estavam acostumados.

Como o projeto envolveu consultoria e implantação de uma plataforma totalmente integrada, um dos principais desafios para a integradora Populos foi desenvolver um ambiente de infraestrutura que trouxesse resiliência e disponibilidade às aplicações.

Isso porque era preciso promover rapidamente a integração dos diferentes sistemas operacionais e bancos de dados utilizados nas concessionárias.

Segundo a integradora, foi possível otimizar cargas de trabalho da equipe de O&M de infraestrutura e automatizar a gestão de alguns processos da plataforma hiperconvergente que suporta sistemas importantes relacionados com ambientes de missão crítica. 

Entre eles, estão o fornecimento de energia, manutenção da rede, medição de energia, ativação de pontos elétricos, acesso a bancos de dados de sistemas operativos, sistemas SCADA, entre outros.

O provisionamento de ativos, que poderia demorar dias, hoje é realizado em poucos minutos com resiliência e sistema completo de Recuperação de Desastre (DR).

Como resultado, a solução hiperconvergente teria permitido o aumento da performance de processamento, estabilidade, velocidade e escalabilidade de dados em comparação à tecnologia convencional.

“A digitalização da rede elétrica (Smart Grids) é a alma das empresas modernas e eficientes na operação de suas redes elétricas. A opção pela hiperconvergência como ambiente de infraestrutura representa um salto na qualidade dos serviços prestados pelas distribuidoras”, afirma Bruno Agra, supervisor de sistemas de tempo real e cibersegurança da Neoenergia.

Segundo a companhia de energia, esse ambiente unificado será a base de sustentação para os sistemas utilizados para operar o seu sistema elétrico.

“A hiperconvergência veio para unificar. Hoje nós temos um agregado de tecnologia, que seria o espaçamento de disco, memória e processamento. Com o sistema, todos esses processos ficarão em uma infraestrutura consolidada e hiperconvergente”, explica Marlos Santos, analista de infraestrutura da Neoenergia.

No que se refere à operação, os principais benefícios apontados pela Neoenergia são a maior velocidade no fluxo de dados e a interface resumida a um único painel de gerenciamento.

Além disso, o sistema promove otimização nos custos, visto que há um melhor aproveitamento da estrutura — minimizando gastos como consumo de energia, refrigeração e menores impactos ambientais — assim como a proteção dos dados.

“A tecnologia de hiperconvergência da Neoenergia já é considerada um dos maiores projetos da Nutanix na América Latina não só pela sua dimensão e ganhos gerados, mas também porque o novo ambiente tecnológico será a base de sustentação para os sistemas utilizados para operar na rede da Neoenergia”, afirma Gabriel Amorim, engenheiro de sistemas da Populos.

Criada em 2016, a paulistana Populos é especializada em soluções de virtualização, cloud computing e mobilidade. Além da Nutanix, atua com as soluções Google Cloud, Veritas, Akamai e Citrix, da qual é parceiro Platinum.

Fundada em 2009, a americana Nutanix é listada na Nasdaq e teve receita de US$ 1,2 bilhão em 2019.

A Neoenergia, por sua vez, foi fundada em 1997 e atua com geração, distribuição, transmissão e comercialização de energia elétrica. Presente em 18 estados e no Distrito Federal, a companhia atende a mais de 15 milhões de clientes.

Veja também

EXCLUSIVO
EMAE aposta em hiperconvergência com HPE

Projeto com a MPE Soluções teve um investimento de R$ 2,75 milhões.

INFRA
Fundação Copel: hiperconvergência com Service IT

A entidade curitibana adotou soluções da Dell e da Oracle no projeto.

INFRA
Prefeitura de Araras: hiperconvergência com HPE

No projeto, a MPE Soluções fez a migração do ambiente de virtualização de 20 servidores físicos.

DATA CENTER
Leão: infraestrutura hiperconvergente com Nutanix

Projeto foi realizado com a Lenovo e a integradora 5F Soluções em TI.

INFRA
Sicoob Cocred investe R$ 5 milhões em data center

Em projeto próprio, cooperativa de crédito adotou solução da Nutanix com a integradora LGTi.

INFRA
Com4 Data Center: hiperconvergência com Nutanix

Desenvolvimento das estruturas demorava cerca de seis meses e agora leva 24 horas.