MAIS UMA

Ebanx demite 20%

21/06/2022 16:21

Reforçando a onda entre os unicórnios, a fintech reformulou estruturas e descontinuou alguns projetos.

Foto: Pexels.

Tamanho da fonte: -A+A

O Ebanx, fintech de processamento de pagamentos on-line, acaba de demitir cerca de 340 pessoas, o que significa 20% do seu quadro de 1,7 mil funcionários.

Segundo a nota da empresa, o motivo é uma revisão na sua operação, “reforçando o foco no que sempre foi seu core business: pagamentos internacionais”. 

Sem entrar em maiores detalhes, a fintech divulgou que estruturas foram reformuladas e alguns projetos estão sendo descontinuados.

“A decisão foi tomada com base no cenário atual do mercado de tecnologia como um todo, impactado de forma profunda e veloz pelo ambiente macroeconômico. O Ebanx mantém o compromisso com sua sustentabilidade e crescimento”, justifica o comunicado.

Os funcionários demitidos devem receber, juntamente com a sua rescisão, valores adicionais e extensão do plano de saúde, além do computador de trabalho.

Fundada em 2012 em Curitiba, a Ebanx processa os pagamentos de brasileiros para gigantes como Spotify, Airbnb e Alibaba.

Nos últimos anos, ela vem crescendo em outros países da América Latina, que já são 40% do total. 

No final do ano passado, a fintech deu uma tacada para diversificar os negócios, ao comprar a Remessa Online, um serviço de remessa de dinheiro para o exterior, por US$ 229 milhões.

Em junho de 2021, a Ebanx captou US$ 430 milhões com a Advent e vinha se preparando para uma abertura de capital nos Estados Unidos, onde esperava ser avaliada em US$ 10 bilhões.

A empresa vinha contratando executivos de peso, como Paula Bellizia, ex-vice-presidente de marketing do Google para a América Latina.

De uns tempos para cá, grandes cortes em companhias de tecnologia têm se tornado mais frequentes, talvez como um produto do novo cenário econômico de inflação e juros baixos.

A Vtex, maior plataforma brasileira de e-commerce, demitiu 193 pessoas, mais de 10% do total de 1,7 mil, em áreas como produto, experiência do usuário, design, engenharia e growth.

Nas últimas semanas, outros unicórnios brasileiros registraram uma sequência de demissões coletivas. Entre eles, estão Olist, Quinto Andar, Loft e Facily. Outras startups, como LivUp e Zak, também realizaram desligamentos neste ano.

A virada no ambiente de startups foi sinalizada ainda em abril, quando Masayoshi Son, presidente do SoftBank, disse que o conglomerado japonês deve reduzir os investimentos em negócios de tecnologia neste ano devido aos maus resultados das investidas.

O Sequoia Capital, fundo do Vale do Silício que já captou cerca de US$ 20 bilhões e traz no currículo aportes iniciais em companhias como Apple, Google e Airbnb, fez um alerta às startups de seu portfólio em uma apresentação com 52 slides.

Nela, destacou que a combinação de mercados financeiros turbulentos, inflação e um conflito geopolítico trazem um momento crucial de incertezas e mudanças.

Veja também

PRESSÃO
Sami faz cortes na equipe

Seguindo uma forte tendência entre as startups, a healthtech acaba de demitir 75.

MAIS UMA
Afterverse demite 20%

A empresa de games da Movile teria cortado cerca de 60 funcionários.

AJUSTE
Sabemi faz corte na TI

Empresa de serviços financeiros confirma demissões, mas não o tamanho.

E-COMMERCE
Vtex demite quase 200

Nova baixa no mundo dos unicórnios equivale a mais de 10% do quadro de funcionários.

CORTES
Zak demite 40% da equipe

Startup do segmento de restaurantes teria demitido 100 por videoconferência.

CORTES
Loft e Facily demitem em massa

Parece quem nem tudo está colorido no mundo dos Unicórnios.