Sede da B3, vista desde o edifício Martinelli. Foto: flickr.com/photos/cacobeto

Tamanho da fonte: -A+A

A B3 implementou o software de gestão para pequenas e médias empresas Business One da SAP na Portal de Documentos e a BLK Sistemas Financeiros, duas empresas adquiridas nos últimos anos pela bolsa de valores brasileira.

A implementação dos ERPs foi feita pela Okser, uma das maiores parceiras da SAP para a linha B1 no país. O projeto foi entregue em 90 dias de forma totalmente remota. 

Vale ressaltar que a B3 já é cliente da SAP, usando o software de gestão ECC na sua operação principal.

“Nossas expectativas são altas em relação a esse sistema e esperamos com essa implementação alcançar bons resultados em nossos processos financeiros”, comenta Renato Michelin, Head Financeiro Corporativo das Controladas da B3.

O projeto envolveu ainda processos de controladoria, que incluem a emissão do DRE e do fluxo de caixa da organização, sem que para isso seja necessário recorrer a softwares externos de apoio, como o Excel. 

“Normalmente, esses aspectos não costumam ser contemplados num projeto rápido, sendo postergados para outras ocasiões. No entanto, na B3, foi possível ir além”, revela Marco Vonzodas, sócio-diretor da Okser.

O Portal de Documentos é uma empresa especializada em soluções digitais para procedimentos de formalização de cobrança e de registro eletrônico de documentos relacionados ao processo de crédito para veículos e imóveis.

A empresa foi comprada em 2019 pela B3 por um valor que poderia chegar a R$ 175 milhões, sendo R$ 50 milhões à vista e o restante em até quatro anos, dependendo do cumprimento de metas.

Já a BLK é uma companhia especializada no chamado "trading algorimico", como são conhecidas as operações de compras e venda de ações realizadas por meio de softwares.

A história é similar à da Portal de Documentos. A B3 comprou 75% do capital em 2019, subindo o total para 100% em setembro de 2020.

As duas aquisições fazem parte de uma estratégia de diversificação da B3 para além do seu negócio principal com a bolsa de valores, uma tendência mundial.

A empresa fez inclusive um movimento de impacto recentemente nesse sentido, ao adquirir por R$ 600 milhões uma participação de 37,5% na TFS, uma spin off da operação de soluções de gestão para o segmento de serviços financeiros da Totvs.

A área que está saindo da Totvs tem um time de 400 pessoas e receita líquida realizada no ano de 2020 de aproximadamente R$ 140 milhões.

A Totvs, como os leitores do Baguete certamente sabem, é a grande competidora brasileira da SAP, e isso vale especialmente no segmento de empresas médias para os quais o B1 é direcionado.

Então, fica aqui a curiosidade de saber se eventualmente a TFS pode se tornar um cliente da B1, como as outras empresas adquiridas pela B3.