Oi aumenta investimentos na região Sul. Foto: divulgação.

A Oi anunciou seus números de investimento na região Sul para o primeiro semestre de 2015, apontando aportes de R$ 260 milhões nos três estados. Com esta marca, a operadora já investiu em seis meses o equivalente a 74% do que a empresa investiu em todo o ano de 2014 (R$ 351 milhões).

Segundo apontou a operadora em nota à imprensa, a prioridade dos investimentos em suas redes de telecomunicações está no tripé operações, engenharia e TI, para melhoria da qualidade do serviço aos clientes em todas as regiões.

Entre janeiro e junho de 2015, a companhia instalou mais de 40 mil portas de acesso à internet banda larga na região. Neste período, também foram implantados 50 novos sites de telefonia móvel 2G, 3G e 4G.

O maior foco de investimento foi o Paraná, estado onde a operadora ocupa a última colocação entre as quatro principais do mercado brasileiro - atrás de TIM, Vivo e Claro. Nos seis primeiros meses, a empresa investiu R$ 155 milhões no estados, mais que o dobro do investido no mesmo período no ano passado.

No Rio Grande do Sul, onde a empresa tem um share mais expressivo, ficando à frente da TIM, mas atrás da Claro e Vivo, a empresa também subiu seus investimentos, subindo de R$ 123 milhões para R$ 133 milhões em 2015.

Em Santa Catarina, onde a operadora ocupa um cenário semelhante ao que tem no Paraná, o investimento foi menor, caindo de R$ 67 milhões para R$ 63 milhões.

Na região Sul, a Oi conta com aproximadamente 11,8 milhões de clientes, sendo 5,4 milhões na telefonia móvel, 4,6 milhão na telefonia fixa, 1,5 milhões em banda larga fixa e 375 mil em TV por assinatura.

Segundo Gabriel Campo, diretor de RI da Oi no Sul, os focos dos investimentos são no escalonamento da infraestrutura de transporte, velocidade da banda larga e qualidade da rede móvel desenvolvendo projetos estruturais.

"No segundo trimestre, do total de investimento realizado no país pela Oi, 88% foram destinados à expansão da rede”, destaca o diretor.

Entre os projetos em curso, está a construção de uma nova malha de transmissão que interliga atualmente 12 capitais do nordeste ao sul do Brasil, com mais de 30 mil quilômetros de fibras óticas, que assegura a capacidade de transporte para todo o trafego de dados.

No segundo trimestre de 2015, a Oi teve lucro líquido consolidado de R$ 671 milhões, decorrentes de um ajuste contábil após a venda da PT Portugal para a empresa francesa Altice.

Com o lucro, a empresa reagiu do prejuízo contabilizado no primeiro trimestre do ano, em que teve uma queda de R$ 447 milhões. A receita da empresa, entretanto, ficou em R$ 6,78 bilhões, queda 5,2% na comparação anual e 3,6% no semestre.