SAÚDE

Beneficência Portuguesa alcança nível 6 no HIMSS

21/10/2016 15:22

Sistema colaborou para a conquista do estágio 6 do HIMSS.

O Hospital São José adotou o Tasy em setembro de 2015. Foto: Divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

Os hospitais do grupo Beneficência Portuguesa de São Paulo conquistaram o estágio 6 do HIMSS. Além deles, o Hospital Márcio Cunha, administrado pela Fundação São Francisco Xavier de Minas Gerais, também foi certificado no estágio 6 durante a conferência HIMSS Brasil, que aconteceu em 4 de outubro.

Para alcançar o selo, os hospitais da Beneficência e o Márcio Cunha utilizam o Tasy, software de gestão em saúde da Philips.

A implantação no Hospital São José, considerado o premium da Beneficência, aconteceu em setembro de 2015. Já o Hospital Santo Antônio, instituição filantrópica, iniciou o uso em março de 2016.

“Implantar o prontuário eletrônico do Tasy,  que é aderente ao modelo de adoção proposto pela HIMSS, facilitou o trabalho”, afirma Lilian Quintal Hoffmann, superintendente executiva de Tecnologia da Informação do Hospital Beneficência Portuguesa de São Paulo 

No ano passado, os hospitais Samaritano, Santa Paula, Alemão Oswaldo Cruz e o curitibano Hospital do Idoso Zilda Arns, que possuem o Tasy como otimizador de serviços, foram os atestados no estágio 6 pela HIMSS. 

“Temos um histórico de grande proximidade da TI com a área assistencial na nossa instituição e este modelo do HIMSS nos integra ainda mais. Foi com grande satisfação que recebemos a premiação, mas já visamos o nível máximo do estágio da HIMSS”, comenta José Afrânio Cotta Júnior, CIO do Hospital Márcio Cunha,.

No Brasil, a Philips desenvolveu um programa chamado Upgrade, que tem como objetivo mostrar aos hospitais como podem utilizar as ferramentas do sistema Tasy para cumprir os requisitos necessários em cada estágio do HIMSS.

O EMRAM é uma metodologia de avaliação do progresso e do impacto dos sistemas de prontuários médicos eletrônicos para hospitais presentes no banco de dados HIMSS Analytics. 

Os hospitais podem rever a implementação e utilização de aplicações de tecnologia da informação com a intenção de chegar ao nível máximo do programa (7), o que representa um ambiente avançado de prontuário eletrônico do paciente.

No total, 11 hospitais brasileiros estão no nível 6. Além dos já citados, contam com o selo as instituições Sírio Libanês, Unimed Recife III, Unimed Volta Redonda e São Camilo.

Veja também

CLOUD
Hospital da Aebes: Office 365 com Brasoftware

A Aebes realizou o projeto no Hospital Evangélico de Vila Velha.

HOSPITAL
Casa da Saúde Campinas contrata MV

O hospital com 150 leitos vai adotar o Soul MV.

SAÚDE
Unimed Chapecó adota soluções MV

A organização tem mais de 48 mil beneficiários.

SAÚDE
HFA renova gestão e armazenamento

O hospital adotou o sistema Soul MV e armazenamento da PureStorage.

SAÚDE
Unimed Guarulhos utiliza Tasy

O software conta com toda a triagem, conduta e evolução do paciente.

SAÚDE
HMV: app para médicos com Vortigo

O Medical Moinhos pode ser usado pelos mais de 3 mil médicos do corpo clínico da instituição.