A empresas optaram por equipes próprias para o atendimento aos clientes. Foto: Pexels.

Tamanho da fonte: -A+A

A Unimed Porto Alegre restabeleceu o seu atendimento no 0800 nesta quarta-feira, 20, após ter isolado os sistemas envolvidos com a Atento, fornecedora que sofreu um ataque cibernético no último domingo, 17.

Em nota, o plano de saúde afirmou que o serviço foi retomado “por meio de estrutura própria”, sem dar mais detalhes sobre essa estrutura.

Como contingência, a cooperativa médica havia estruturado equipes próprias para o atendimento aos clientes através de um número alternativo, agora mantém essas equipes com o número 0800.

“A Unimed Porto Alegre reforça que mantém o regime de contingência e que todos os esforços estão sendo realizados para evitar maiores transtornos aos clientes”, acrescentou o comunicado.

A própria Atento, uma das maiores empresas de contact center e BPO do mundo, avisou os clientes sobre o incidente no Brasil afirmando que “implementou imediatamente todos os protocolos de segurança cibernética ao seu alcance para conter e avaliar a ameaça”.

Segundo o site Valor Econômico, o Itaú Unibanco, outro cliente da companhia, também interrompeu preventivamente parte da operação de suas centrais de atendimento. O banco afirma que o impacto "tem sido reduzido gradativamente".

A Vivo, por sua vez, acionou uma equipe de atendimento própria e está interagindo com todos os clientes por meio do seu aplicativo, do atendimento automatizado na central telefônica e das lojas, além do aplicativo Vivo Empresas para clientes corporativos.

Companhias como Azul, Livelo, Unimed Rio, Burguer King, Banco BMG, Cielo e Riot Games também são clientes da Atento e relataram planos semelhantes.

À publicação, a Atento não informou atualizações sobre o ataque, apenas afirmou estar concentrada no trabalho com as autoridades, em sigilo.

Segundo o jornal O Globo, a Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon), órgão do Ministério da Justiça, vai notificar a Atento para que informe quantas e quais empresas foram afetadas pelo incidente.

O site Convergência Digital destaca que a Atento Brasil não é obrigada a reportar incidentes no país porque não é listada na B3, tanto que a informação sobre o ataque hacker foi publicada na Bolsa de Nova York.

Criada em 1999, a Atento é avaliada em US$ 415 milhões. Com operações em 14 países e 150 mil funcionários, a companhia conta com mais de 400 clientes no Brasil, América Latina, Estados Unidos e Espanha.