Daniela Fontolan.

A operação brasileira do SAS, empresa focada em analytics, dobrou a participação dos canais nas vendas de software. Em 2017, os parceiros foram responsáveis por 29% da receita da companhia.

No ano anterior, o índice de faturamento vindo das vendas indiretas foi de 16%. Em 2018, a meta da companhia é alcançar uma taxa de 40% no segmento.

Para alcançar o crescimento neste ano, a companhia aposta na especialização de parceiros em mercados nos quais o SAS não tem atuação hoje, como utilities e agronegócio.

Mesmo com o fortalecimento de novas áreas, os principais mercados da área de canais e alianças continuam sendo a região nordeste e Brasília, com foco no setor público.

“Tratando-se de Governo, embora 2018 seja um ano de eleições no âmbito federal, quando há uma diminuição já prevista nos investimentos em TI, daremos continuidade ao trabalho com foco nas esferas estadual e municipal, principalmente no que diz respeito às soluções antifraude do SAS”, relata Daniela Fontolan, diretora de Canais e Alianças do SAS América Latina.

A executiva chegou à companhia em novembro de 2015 vida da área de alianças da Oracle com a função de liderar o programa de canais da empresa no Brasil, que foi lançado oficialmente naquele ano. Em outubro de 2017, foi promovida à liderança da área para a operação latina.

Neste ano, o objetivo no Brasil é trabalhar com um grupo de 51 parceiros no programa de especialização, que atuarão nas quatro linhas de negócios do SAS - Customer Intelligence, Data Management, Risco e Fraudes -, além de projetos de serviços de consultoria.

“O foco são as novas indústrias, no segmento de médias empresas, e a oferta de soluções pré-configuradas por indústria”, diz Daniela.

Dentro desta estratégia, o SAS anunciou em abril de 2017 um acordo com a Sonda, integradora de serviços e soluções de TI com atuação na América Latina. A parceria tem foco na cobertura das verticais de varejo, manufatura e bens de consumo, por meio da complementação de portfólio de soluções entre as duas empresas.

“Agora, queremos expandir o trabalho no Chile, na Colômbia, na Argentina, no México, na América Central e no Caribe, de acordo com as linhas de negócio específicas para cada país”, completa a diretora.

O SAS também fechou recentemente parcerias com as empresas MarketData, que oferece serviços e soluções de marketing, e Grão Inteligência, consultoria de gestão e estratégia, no modelo MASP (Managed Analytic Service Provider), para que as companhias integrem recursos de analytics do SAS em suas ofertas.

Além dos 51 canais brasileiros, o SAS tem cerca de outros 50 canais espalhados na América Latina.

No Brasil desde 1996, o SAS conta com mais de 200 clientes. A empresa tem escritórios em São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília, somando cerca de 200 colaboradores.

* Júlia Merker viajou a São Paulo a convite do SAS.