CLICKS

Citibank erra em transferência de US$ 1 bilhão

22/02/2021 04:40

Você quer saber porque a interface de usuário é importante? Leia esse post.

Teria que clicar mais dois campos nessa tela, para não dar tudo errado.

Tamanho da fonte: -A+A

Um funcionário terceirizado da Wipro clicou mal em alguns campos de um software que parece ter sido feito no começo da década de 90, com o resultado de que o Citibank fez uma transferência para clientes de quase US$ 1 bilhão que não deveria fazer.

Agora, uma corte em Nova Iorque decidiu que a parte dos clientes que se negou a devolver o dinheiro não precisa fazê-lo, porque a culpa é do Citibank.

A história, uma bela lembrança sobre porque é importante investir em boas interfaces de usuário, foi trazida pelo The Register.

Em agosto do ano passado, um funcionário terceirizado da Wipro deveria fazer o pagamento de US$ 7,8 milhões, referentes a juros sobre um empréstimo feito por clientes do Citibank. 

Para fazer essa operação, ele deveria clicar em três campos e informar três contas, dentro do que parece uma versão antiga em tons de cinza do Flexcube, uma solução de core banking da Oracle.

Ele clicou em um campo e informou uma conta, com o resultado de que a operação não foi de pagamento de juros, mas no valor total do empréstimo, que naquele momento chegava a US$ 894 milhões. 

Claro que transferências nesse valor precisam de aprovações adicionais. O Citibank tem até um nome charmoso para isso: “six eyes policy”. E elas foram dadas, pelo gerente local do funcionário, assim como por um gerente sênior do Citibank. 

Assim, o valor total do empréstimo, que deveria vencer em 2023, foi pago de volta a 315 credores, uma transferência 114 vezes maior do que a necessária.

No dia seguinte, alguém notou o erro, e o Citibank correu atrás do dinheiro. A maioria dos credores devolveu. Menos 10, que haviam embolsado em conjunto US$ 500 milhões. 

O Citibank decidiu entrar na justiça americana, mas o juiz não teve muita compreensão pelos problemas do banco em fazer transferências corretas de dinheiro.

“Os credores acreditam que os pagamentos eram intencionais. De fato, acreditar que o Citibank, uma das instituições financeiras mais sofisticadas do mundo, cometeu um engano que nunca aconteceu antes, no valor de quase US$ 1 bilhão, seria quase irracional”, resumiu o juiz.

Como o valor transferido diz respeito apenas ao emprestado, o Citibank não teria direito a recuperar o dinheiro, aponta a sentença. 

Os fundos estão congelados por uma liminar obtida pelo Citibank, que vai recorrer.

Veja também

TENDÊNCIAS
Santander: novos usos para o estacionamento

Locais devem ser pontos de encontro para usuários do e-commerce Webmotors.

ERRO
Itaú transfere R$ 1 milhão indevidamente via Pix

Instituição duplicou valores das transações e agora processa outros bancos para receber o dinheiro de volta.

CARROS
Sem Parar adota PIX

Nova forma de pagamento foi implantada por uma solução da Matera.

SORRIA
Drogaria Iguatemi aceita pagamento por face

Tecnologia de biometria facial é da startup Payface.

BOLSO
Oracle: cliente chora sobre preço

Pesquisa da Rimini indica que para 97% o custo é o “principal desafio” do banco de dados.

JOGOS
Red Team x Blue Team

Um departamento de segurança com uns no ataque, outros na defesa. Quem ganha é a economia digital.

CLIENTES
Banco BV migra para Google Cloud

Pouco a pouco, grandes bancos brasileiros vão fazendo apostas na nuvem.

QUADRADOS
Modernização da base de dados é aliada do negócio

Setor financeiro passou por uma evolução para ter uma separação completa de responsabilidade.

CASE DE ESTUDO
O Pix muito além do envio de dinheiro

Brasileiro resolveu fazer de tudo com o Pix. Existe um risco de segurança nisso?

REFORÇO
Wipro tem gerente geral no Brasil

Gigante indiana contratou Douglas Silva, ex-AWS e experiente no setor financeiro.

CARGAS
Biometria facial pega “motorista dublê”

Tecnologia da CredDefense está sendo usada pelos clientes da seguradora NVZ.