Hitachi foca no BYOD com nova solução. Foto: divulgação.

A Hitachi Data Systems (HDS), lançou o Content Platform Anywhere, uma pacote de soluções de sincronização e compartilhamento na nuvem voltada ao mercado corporativo e o uso de dispositivos móveis via BYOD.

Pelo novo serviço, Os usuários podem acessar informações, documentos e trabalhar em colaboração usando qualquer dispositivo, em qualquer lugar com conexão á Internet.

O HCP Anywhere pode ser baixado da loja iTunes para aparelhos iOS, e evita a necessidade de backups. Só é preciso salvar os arquivos desejados na pasta da aplicação.

O arquivo é automaticamente sincronizado em todos os aparelhos registrados, permitindo acesso aos conteúdos em dispositivos móveis.

Contando com opções de customização de segurança, a solução é controlada pela área de TI da empresa que contrata a solução, gerenciando os dados de acordo com suas práticas de segurança e compliance.

A solução mantém o departamento de TI da empresa no controle de aspectos como criptografia, propriedade e termos de serviços. Além disso, a gestão de metadados estabelece fundamentos para big data e analytics.

Segundo a empresa, a solução oferece infraestruturas em nuvem particulares, híbridas e públicas, flexíveis, escaláveis e fáceis de gerir, com custos competitivos.

Segundo divulgado pela HDS, a adoção do HCP Anywhere pode reduzir custos de propriedade de até 60% e diminuir o espaço para backups em até 30%, adiando em pelo menos dois anos novas aquisições em armazenamento.

Para Airton Pinto, country manager da HDS, o lançamento da solução mostra a preocupação com tendências crescentes no corporativo.

“Preparamos as empresas para aquilo que ainda está por vir. Tendências como o big data, BYOD, gestão de dados não estruturados, nuvens seguras, gestão e análise orientada a metadados estão se tornando universais”, explica.

Atualmente, a operação nacional da HDS gera uma receita aproximada de US$ 100 milhões. Com a produção local, somada a outros projetos em desenvolvimento, a meta é dobrar o faturamento no Brasil dentro de dois anos.