Wizard vai bancar curso para quem perder o emprego. Foto: Divulgação.

A Wizard, uma das maiores redes de ensino de idiomas do país, optou por uma solução radical para garantir o fluxo de caixa das suas escolas: fazer um seguro contra desemprego para os 100 mil estudantes.

De acordo com a empresa, o seguro contratado com a Mapfre se dará sem custos adicionais para os alunos e franqueados. 

O seguro deve bancar seis meses de mensalidades para pessoas com registro na carteira de trabalho que forem demitidas sem justa causa após um mínimo de 12 meses ininterruptos em trabalho com vínculo empregatício de pelo menos 30 horas semanais.

A Pearson, multinacional que adquiriu a Wizard em 2013 por R$ 2 bilhões, vai bancar os custos. São 1270 escolas da marca, empregando 12 mil pessoas.

"Vivemos um período crítico, em que a retração econômica coloca em risco muitos empregos. Se nosso aluno for demitido, queremos garantir que ele possa continuar estudando, porque sabemos que o domínio de um segundo idioma aumenta muito suas chances de recolocação", afirma Piero Franceschi, vice-presidente de Marketing, Estratégia e Inovação da Pearson para a América Latina. 

Na esteira da crise provocada pela pandemia no novo coronavírus, a taxa de desemprego deve chegar a 14,2% ao fim de 2020, segundo estimativa da Instituição Fiscal Independente (IFI) do Senado. 

No cenário mais pessimista, esse número pode chegar a 15,3%. No ano passado, a taxa média de desocupação no país ficou em 11,9%, segundo dados do IBGE.