A Ryanair firmou um acordo para utilizar as soluções QlikView e Qlik Sense. Foto: Divulgação.

A companhia aérea Ryanair firmou um acordo com a Qlik para utilizar as soluções QlikView e Qlik Sense. 

O objetivo da adoção é ajudar a preencher mais voos e melhorar os diferentes serviços que a companhia oferece aos clientes. A companhia consolidará todos os seus dados para ter mais conhecimento sobre suas operações.

A Ryanair é a companhia aérea mais popular da Europa, operando mais de 1,8 mil voos diários em 200 destinos. A empresa oferece opções aéreas de baixo custo associada a um serviço básico, em que qualquer recurso extra - como despachar bagagem - é pago pelo consumidor.

Com a Qlik, a equipe de business intelligence da Ryanair consolidou os dados de toda a organização para conduzir ideias e tomar decisões de negócios.

"Diferentes públicos dentro da empresa desejavam consumir seus dados de maneiras distintas. Buscávamos uma plataforma que nos permitisse atender a essas necessidades. A Qlik nos ofereceu dois produtos complementares que fazem exatamente isso, o QlikView e o Qlik Sense”, afirma Shane Finnegan, desenvolvedor sênior de BI da Ryanair. 

O QlikView pode ser usado por colaboradores que precisam de análise em profundidade, como os que trabalham em finanças ou marketing. O Qlik Sense, por sua vez, funciona para departamentos mais sensíveis ao tempo – como os de Operações de Voo ou de Solo. 

“Eles podem obter visualizações de dados rápidas e fáceis de compreender, mostrando imediatamente o que está acontecendo, para que eles saibam onde há um problema e o resolvam rapidamente”, completa Finnegan.

No futuro, a Ryanair espera usar as soluções da Qlik para melhorar suas ofertas de compras dentro dos aviões e otimizar a cadeia de suprimentos. A ideia é compreender antecipadamente o perfil dos passageiros e selecionar a gama adequada de produtos e as quantidades ideais para estocar em determinado voo.

"Com a Qlik, estamos construindo uma visão completa do que está acontecendo em toda a empresa. Essa iniciativa tem papel importante na forma como os serviços que oferecemos aos clientes têm evoluído", adiciona Finnegan. 

A Qlik firmou, há cerca de um mês, um acordo para ser adquirida pelo fundo Thoma Bravo. O negócio foi fechado por US$ 3 bilhões. O negócio foi impulsionado pela pressão do fundo Elliott Management Corp, que tem uma participação de 8,8% no Qlik. 

Em março, o fundo afirmou que a Qlik estava madura para ser tomada por um player de tecnologia maior.

A Qlik fechou o ano de 2015 com receita de US$ 612,7 milhões, um aumento de 10% em relação ao resultado do ano anterior. Globalmente, os canais foram responsáveis por 55% das vendas da Qlik em 2015.