Severino Benner, CEO da empresa.

A Benner, empresa especializada em software de gestão, vai usar a plataforma MobileX da MTM para desenvolver suas aplicações móveis.

O MobileX é possível criar aplicativos nativos para as plataformas Android e iOS baseado em templates que podem ser desenvolvidos utilizando a linguagem de preferência do desenvolvedor.

Além disso, o mobileX também oferece a aplicação baseada em cloud-computing, com o gerenciamento de todas as aplicações desenvolvidas de forma centralizada.

Normalmente, a MTM usa a tecnologia para criar aplicações para seus clientes finais. No caso da Benner, ela está licenciando a plataforma propriamente dita. 

A Benner tem soluções para os setores de jurídico, turismo, logística e saúde. Esta última área é um dos pontos fortes da MTM, que tem clientes como Albert Einstein, Sírio Libanês e a divisão norte-americana da Carestream, entre outros. 

“Buscávamos uma solução igualmente inovadora que permitisse potencializar os canais de relacionamento e aprimorar a gestão das empresas que contratam nosso serviço. Essas empresas agora conseguirão acessar processos internos de forma ainda mais ágil, inclusive diretamente de seus smartphones” afirma Severino Benner, CEO da empresa.

A tecnologia do mobileX já está sendo usada pela Benner, por exemplo, no projeto de um aplicativo voltado para a área jurídica. 

Com ele, os advogados poderão acompanhar seus processos e consultar o andamento das atividades do escritório por meio do celular.

Em novembro de 2017, a Daten, fabricante brasileira de computadores, comprou uma participação majoritária da MTM Tecnologia. 

O negócio foi fechado através do fundo de investimentos Lighthouse, controlado pelos donos da Daten. O valor do aporte não foi revelado. 

Gustavo Perez,  um PhD em Ciência da Computação pela University of Southern California que fundou a MTM em 2007, segue como CEO da empresa, que terá atuação independente.

Na época, o software da companhia estava rodando em 100 mil dispositivos em 5 mil empresas diferentes. 

Fundada em 2001, a Daten não abriu seu faturamento nos últimos anos, mas em 2013 ele girava em torno de R$ 100 milhões, cifra que provavelmente diminuiu nos últimos anos com o desaquecimento do mercado de PCs no país.

Já Benner está hoje na faixa dos R$ 250 milhões (a companhia não divulga resultados exatos, só a meta de dobrar até 2020 para R$ 500 milhões).

A empresa já fez uma grande reorganização em 2016, quando a companhia se dividiu em duas vice-presidências, uma focada no mercado de saúde, no qual a Benner tem forte participação, e outra focada em soluções de logística, turismo, RH e jurídico.

De origem catarinense, hoje a companhia tem matriz em São Paulo, além de unidades em Blumenau, Rio de Janeiro, Brasília, Belo Horizonte, Maringá e Curitiba. Ao todo, são 1,2 mil colaboradores.