Gino Damiani, gerente da unidade de EMS - Manufatura Eletrônica e IoT da Parks. Foto: Divulgação.

A Parks, fabricante gaúcha de soluções para telecomunicações, agora entra no mercado de internet das coisas com o lançamento de um Mini Card Modem Wireless para aplicações machine to machine (M2M) desenvolvido com tecnologia nacional, integrado a um módulo 3G ou 4G da Sierra Wireless. 

O equipamento é indicado para empresas que necessitem de comunicação máquina a máquina, bem como aplicações de internet das coisas, em ambientes não cobertos por rede wi-fi.

Além disso, mesmo em locais com rede wi-fi, o Mini Card Modem Wireless Parks provê sinal quando a rede principal cai. 

Para Gino Damiani, gerente da unidade de EMS - Manufatura Eletrônica e IoT da Parks, o principal benefício está na tecnologia nacional utilizada no produto. Segundo ele, tradicionalmente, usuários do Brasil importam o produto.

O Mini Card Modem Wireless Parks é 100% industrializado no Brasil. Os módulos 3G/4G da Sierra são fabricados em Minas Gerais, enquanto o produto final é feito na fábrica da Parks, localizada em Cachoeirinha, no Rio Grande do Sul.

“Isso traz benefícios e facilidades aos clientes, como a homologação da Anatel, nacionalização que torna o produto passível de PPB com redução custos de IPI melhorando o preço final do equipamento; além de redução nos custos de importação, que podem chega a 60% dos produtos fabricados no exterior e somente revendidos no Brasil”, ressalta Damiani.

Com possibilidade de integração com modem Sierra 4G, a depender somente da infraestrutura para esta faixa de tecnologia, o Mini Card Modem Wireless Parks também pode vir em opções com ou sem GPS/GLONASS.

Na Parks, a meta é vender 10 mil do novo produto no primeiro ano de atuação. 

Fundada em 1966, a Parks começou com o desenvolvimento de CFTV para a área bancária para a telesupervisão de cheques  e desenvolvimento de sistemas de sonorização.

Em 1977, foi responsável pelo primeiro modem brasileiro com tecnologia nacional, em um projeto feito em parceria com a UFRGS. Outro marco aconteceu em 2001, com o lançamento nacional do produto DuoLink HPNA (“pré-ADSL”), que permitia a transmissão de 1Mbps (voz e dados) no mesmo par metálico.

Há cerca de dois anos, a companhia passou a atuar com a solução POL (Passive Optical LAN).