Novos equipamentos de impressão 3D devem chegar ao consumidor final. Foto: flickr.com/photos/dvanzuijlekom

Estimativas da Juniper Research apontam que as vendas de impressoras 3D para usuários domésticos ultrapassarão a marca de um milhão de unidades em 2018.

Para esse ano, a projeção indica pouco mais de 44 mil equipamentos vendidos.

Até então distantes do grande público devido ao preço elevado, as impressoras têm crescido rapidamente no mundo corporativo. No entanto, os novos modelos de equipamentos, mais baratos, têm ganhado o mercado e atingindo consumidores finais.

O relatório avalia que embora as remessas de impressoras 3D estejam em níveis relativamente baixos, esse cenário deve ser alterado e as vendas devem aumentar significativamente no período de quatro anos. 

O crescimento será resultado de uma extensão cada vez maior de aplicabilidade do equipamento, impulsionada pela entrada de fabricantes de impressoras convencionais, como a HP, nesse mercado.

O estudo observa, porém, que ainda é muito cedo para se pensar numa oferta em massa ao consumidor, já que a tecnologia ainda precisa conquistar a imaginação dos clientes. 

As chamadas killer applications (aplicações que tornam um produto altamente desejado pelas pessoas) e novos materiais para impressão ainda não foram identificados para funcionarem como fontes impulsionadoras do mercado.

Na avaliação do autor do relatório, Nitin Bhas, educar e motivar o público sobre a impressão em 3D para criar objetos do cotidiano é fundamental para o sucesso desse segmento a longo prazo.