Marcos Malagola.

A Mega, empresa paulista de software de gestão, investiu R$ 10 milhões na nova versão do seu ERP, agora disponibilizado na nuvem como serviço.

É uma virada importante para a empresa, cuja base de 2 mil clientes usa hoje na sua maioria software on premise ou hosteado, dentro de um modelo de licenciamento.

“Nossa expectativa é que 20% da base migre para o novo software já neste ano”, explica Marcos Malagola, diretor de tecnologia da Mega.

De acordo com Malagola, a transição deve ser simples, uma vez que o novo ERP, batizado de Planier, é também baseado em banco de dados da Oracle, o que facilita a migração das informações.

Como atrativos, o Planier oferece o modelo de cobrança, com custos a partir de R$ 1 mil mensais para até cinco usuários, incluindo aí licença, hospedagem e infraestrutura da Ascenty.

Malagola frisa que com a nova oferta os clientes terão acesso a todas as funcionalidades que queiram usar e que uma das grandes preocupações foi aumentar usabilidade do produto.

Com 30 anos de mercado, a Mega tem sede em Itu, interior de São Paulo, e uma presença mais forte na vertical de construção. Outros mercados atendidos são manufatura, logística, combustíveis, agronegócios e serviços.

Em meio à desaceleração econômica dos últimos dois anos, a Mega parece ter se ocupado em se reposicionar no mercado. O resultado do ano passado foi de R$ 75 milhões, o mesmo de 2015.

Mas a empresa fez uma grande reorganização, que, além do lançamento do Planier, incluiu mudanças internas e no ecossistemas de canais feitas em 2015. A empresa comprou Mega Minas, seu canal no estado de Minas Gerais.

Os sócios fundadores passaram para um conselho de administração e a empresa foi dividida em três diretorias, uma delas liderada por Malagola.

As mudanças feitas pela Mega (compra de canais, investimento em software na nuvem) são similares à de outros players do mercado brasileiro de ERP do mesmo porte como Senior e Benner, todos de olho em solidificar um segundo lugar em um mercado dominado pela Totvs.

“Nossa visão é estar firmemente colocados em segundo lugar até 2020”, resume Malagola.