Bairro será composto por 3 mil unidades habitacionais.

Tamanho da fonte: -A+A

O primeiro bairro sustentável do Rio Grande do Sul deve começar a ser construído em Pelotas, no sul do estado, ainda neste ano. A ideia é criar uma comunidade de 10 mil habitantes, onde tudo possa ser feito a pé ou de bicicleta e onde os prédios utilizam o conceito de arquitetura verde.

Com investimento inicial de R$ 40 milhões e batizado de Quartier, o bairro será composto por 3 mil unidades habitacionais. Os prédios deverão ter, no térreo, lojas comerciais. Também estão previstos um shopping de rua, um hotel de luxo e um palco coberto de grama para espetáculos ao ar livre. 

O bairro será o primeiro no estado a ser certificado pela organização "US Green Building Council" por meio do selo "Leed for Neighborhood Development", que comprova a sustentabilidade. 

O título só é concedido se o empreendimento cumpre uma série de determinações como ter boa localização, priorizar transportes alternativos, preservar a natureza, ter construções com consumo reduzido de água e energia, ser um misto de residências, comércio e serviços em que tudo possa ser feito a pé, e fomento ao progresso local.

Até agora, o único prédio no Rio Grande do Sul a ter esse selo é o centro de desenvolvimento e suporte da SAP em São Leopoldo na região metropolitana.

O preço de cada apartamento ou área comercial ainda não foi definido. O bairro Quartier deverá começar a receber terraplanagem e instalações elétricas até o fim deste ano e ficar inteiramente pronto dentro de dez anos.

O projeto prevê a instalação de placas solares no teto dos prédios ou uma estação de produção de energia eólica.Além disso, cada prédio terá um reservatório para a água da chuva. 

Uma malha de garrafas pet instalada entre a parede interna dos apartamentos e a fachada do prédio manterá a temperatura quente no inverno e fria no verão. 

O projeto é assinado pelo escritório Jaime Lerner Arquitetos Associados, responsável por parte do projeto de revitalização do Cais do Porto em Porto Alegre e a urbanização é responsabilidade da Joal Teitelbaum Escritório de Engenharia.

O Escritório de Engenharia Joal Teitelbaum foi fundado em 1961 e atua no gerenciamento e administração de empreendimentos residenciais e comerciais. Desde 2007 é membro do US Green Building Council e do Green Building Council Brasil.

Segundo a empresa, Pelotas foi escolhida para sediar o bairro por causa da expansão do polo naval de Rio Grande, entre outros fatores. 

A cidade passa por momentos de expansão. De acordo com a Zero Hora, entre 2002 e 2012 a valorização dos imóveis pelotenses foi vertiginosa. Em 2002, um imóvel tido como de padrão médio/alto custava, em média, R$ 150 mil. Dez anos depois, estava avaliado em torno de R$ 450 mil. Nos imóveis de padrão mais baixo, a diferença é ainda maior: de R$ 30 mil em 2002 e R$ 150 mil em 2012..

Em dezembro de 2013 foi aberto o primeiro centro comercial de Pelotas. Em abril, Rio Grande também passou a ter um shopping. Os dois centros comerciais vieram atrás da renda gerada pelas empresas de construção naval. 

Só a Engevix, que trabalha para a Petrobrás, criou 8 mil empregos diretos e indiretos na região. Por enquanto, os investimentos não deram sinal de arrefecimento. De janeiro a junho, segundo o Dieese, 4 mil vagas foram abertas na cidade.