Fonte: Public Libraries Online.

O momento de escolher uma roupa para o trabalho pode parecer apenas como mais uma função rotineira. No entanto, é bom dar atenção na maneira como você veste e como isso se adapta ao ambiente profissional. O estilo pode influenciar, de maneira positiva ou negativa, no seu resultado profissional e muitos estudos apontam para esse fato nas empresas ou em diferentes segmentos de mercado.

O ponto principal é conhecer o lugar onde você trabalha, e usar o bom senso para determinar o padrão de sua vestimenta. Não faz muito sentido trabalhar de terno e gravata em uma startup de comunicação em que os trabalhadores são, em maioria, jovens que acabaram de sair da faculdade. E muito menos ir de bermuda e chinelo em alguma empresa de advocacia.

De acordo com a pesquisa da Office Team, empresa norte-americana especializada em recrutamento profissional, o guarda-roupa é um fator fundamental. O levantamento, feito com cerca de mil gerentes, apontou que 80% desses profissionais concordam que o jeito de se vestir influencia na hora de alguém ser promovido. 

É bom não contar com a sorte, provavelmente seu chefe não se encaixará nesses 20% que não dão muito valor as suas roupas no ambiente de trabalho.

“Se eu tenho candidatos para uma vaga com desempenhos parecidos, formação e perfis alinhados, mas um deles está melhor vestido, escolho o que se apresenta melhor”, de acordo com Débora Goulart, profissional em recursos humanos. 

Não é apenas acertar no jeito de vestir, mas também saber e conhecer detalhadamente a hierarquia da sua empresa. De acordo com André Do Val, especialista em moda, tentar se vestir melhor do que o seu chefe pode parecer fútil e tolo e isso está longe de ser uma pretensão profissional. Outra recomendação é ter uma variação mínima no guarda-roupa, ou seja, não repetir demais as mesmas roupas — preferencialmente não em dias seguidos. Dessa maneira, isso não será tópico de nenhuma conversa dos outros colegas de trabalho.

No ramo corporativo em empresas que adotam um dress code mais rígido, a importância pode ser ainda maior. “Nessa área, as roupas falam pela pessoa, inclusive, ou principalmente, na hora de avançar na carreira”, diz Fernanda Campos, profissional de uma empresa de treinamento e recrutamento de executivos. “E elas têm de falar bem. Por isso, é importante conhecer o seu tipo físico e o código de vestuário da empresa e saber fazer a mistura correta”, completa. 

Outro ponto importante é o jeito como as mulheres se vestem. Mesmo em um ambiente descontraído e jovem, o recomendado, de acordo com os profissionais, é sempre ter cuidado para não exagerar em alguma roupa que alguém possa interpretar como vulgar.

Não é apenas no ambiente corporativo que o dress code é relevante. No poker, a maneira como o jogador se veste pode indicar várias coisas, inclusive esconder sua estratégia. Na mesa, os jogadores podem escolher a roupa que bem entender, algumas mais ousadas e outras convencionais.

“Sua aparência na mesa afeta a forma que os adversários jogam contra você. Subconscientemente, estamos fazendo suposições sobre os outros com a informação limitada que temos, então a aparência é importante”, de acordo com Shannon Shorr, jogador relevante no cenário internacional.

O estilo é de cada um, e a liberdade de se vestir da maneira que quiser, dentro de uma ética social, é algo importante. No entanto, se você procura por uma vantagem profissional, aquela carta na manga que pode fazer a diferença entre conquistar algum emprego ou vencer na sua área, o guarda-roupa pode ser a cereja do bolo.