EDUCAÇÃO

Escolas da Austrália ensinam programação

23/09/2015 15:58

Na Austrália, as aulas de programação serão parte do currículo obrigatório. Foto: Pressmaster/Shutterstock.

Tamanho da fonte: -A+A

O governo da Austrália têm incentivado as escolas a aumentarem o enfoque das aulas em áreas de ciência, tecnologia, engenharia e matemática desde o nível primário. Na última semana, o país anunciou que aulas de programação serão parte do currículo obrigatório para crianças a partir de 10 anos.

As aulas entrarão nos horários destinados às aulas individuais de história e geografia. Também na semana passada, o governo determinou que estas disciplinas seriam integradas em uma só na educação primária, junto com aulas de educação cívica, economia e administração, segundo o jornal australiano Sunshine Coast Daily.

O novo currículo foi anunciado pelo ministro da Educação Christopher Pyne, um pouco antes dele assumir o ministério de Indústria, Inovação e Ciência.

"A alta qualidade da educação nas áreas de ciência e tecnologia é criticamente importante para a produtividade da Austrália e o desenvolvimento da economia, tanto agora como no futuro", disse Pyne em um comunicado.

Pyne acrescentou que os professores receberão mais instrução nos novos segmentos do currículo como parte da formação de professores.

"Há uma necessidade cada vez maior de trabalhadores altamente qualificados nesta indústria de crescimento global. Todas as crianças precisam entender o pensamento computacional e como ele pode contribuir para o seu futuro”, completou.

Para desenvolver a iniciativa, o governo australiano vai investir cerca de US$ 8,5 milhões para desenvolver as áreas de ensino de ciência, tecnologia, engenharia e matemática.

Ainda em setembro, foi divulgado um plano da prefeitura de Nova Iorque para inserir a ciência da computação em todas as escolas públicas dentro de 10 anos.

Pelo menos duas outras cidades americanas assumiram recentemente compromissos de oferecer ciência da computação para todos os seus alunos. 

Chicago afirmou que irá estabelecer como exigência para a conclusão do ensino médio a aprendizagem de ciência da computação por pelo menos um ano a partir de 2018. 

Já São Francisco aprovou a meta de oferecer disciplinas na área para crianças da educação infantil até alunos do ensino médio, fazendo do assunto parte obrigatória do currículo até a oitava série.

Um país com grande avanço no setor é a Inglaterra, que dese setembro do ano passado oferece aulas de programação para crianças a partir de cinco anos de idade nas mais de 160 mil escolas primárias do país.

O novo currículo dá mais importância a habilidades como redação de teses, resolução de problemas, modelagem matemática e programação.

Veja também

IMIGRAÇÃO
Austrália estuda venda de vistos

Para a mudança,são estudadas propostas como uma loteria de imigração.

BYE BYE BRASIL
Austrália busca profissionais de TIC

A média geral para salários de funções de TIC na Austrália fica em US$ 96 mil ao ano.

EDUCAÇÃO
Escolas de NY terão ciência da computação

Em 10 anos, as escolas públicas serão obrigadas a oferecer a disciplina para os estudantes.

ZELANDO
Agenda virtual foca educação infantil

Até agora, três escolas de Porto Alegre já aderiram ao aplicativo.

EDUCAÇÃO
Lemann: programa com sete startups

As selecionadas são Pertoo, Projeto Redação, Agenda Kids, Replay4.me, Imaginie, GridClass e MGov.