Lançamento do Nokia X. Foto: divulgação.

A Nokia anunciou nesta segunda a sua linha de telefones Nokia X, a tão comentada série de smartphones com o sistema operacional Android. No entanto, quem não parece muito contente com a novidade é a Microsoft, companhia que adquiriu a Nokia recentemente por US$ 7,2 bilhões.

Para analistas, o plano da Nokia, que já estava em andamento muito antes da aquisição, foi uma surpresa para o mercado e para a companhia de Redmond, que via na Nokia um aliado importante para o fortalecimento do Windows Phone. A informação é do Business Insider.

Joe Belfiore, VP da divisão Windows Phone na Microsoft, afirmou neste sábado que a Nokia tem projetos que agradam à companhia e outros que "não são tão empolgantes", supostamente se referindo ao tal celular com Android.

O Nokia X se enquadra na categoria dos smartphones de baixo custo, com uma tela de 4 polegadas e resolução 800 x 480. O processador é um dual-core Qualcomm Snapdragon S4 de 1GHz, enquanto a memória interna é de 4GB, expansível via microSD.

Com uma câmera de 3 megapixels e suporte para 3G e 2G, o Nokia X suporta dois chips SIM, uma medida para agradar em mercados emergentes como o brasileiro e asiáticos.

No entanto, o Android oferecido pela Nokia tem seus contras, como interfaces altamente modificadas e a falta de acesso a serviços do Google como o Maps, Gmail e Play Store. Curiosamente, o celular vem repleto de ports de serviços da Microsoft, como Outlook, Skype e OneDrive.

Para explicar essa confusão, o ex-CEO da Nokia e atual executivo da Microsoft Stephen Elop afirmou que o Nokia X será um modelo de entrada para outros aparelhos Windows Phone mais avançados. O preço do smartphone nos Estados Unidos é de US$ 120.

Só tem uma coisa: no mercado norte-americano, a Nokia já vende aparelhos Windows Phone na faixa dos US$ 100, como o Lumia 520, um dos modelos mais populares entre os mais econômicos.

Para deixar o clima mais tranquilo, o líder de comunicações da Microsoft Frank Shaw divulgou um comunicado afirmando que a empresa está contente que a Nokia pretende divulgar as aplicações da Microsoft no aparelho com Android.

"Nossa estratégia principal nos smartphones é o Windows Phone e nossa plataforma base para desenvolvimento é a de Windows", destacou o executivo.