Público da última edição da Campus Party em São Paulo. Foto: Divulgação/Flickr/Luciana Aldegani

A Futura Networks, empresa organizadora da Campus Party, contratou a MCI Brasil, subsidiária brasileira da multinacional de eventos MCI, para ser a organizadora do evento a partir da próxima edição no país.

O acordo é um desdobramento da parceria já existente entre as empresas em outros países como a Espanha, onde a Futura Networks é sediada.

“Para a Campus Party, esta é uma excelente oportunidade de parceria com uma companhia internacional de respeito, que vai ampliar o evento no Brasil e no mundo”, afirma Paco Ragageles, presidente e fundador da Campus Party.

A MCI é uma gigante no mercado de comunicação e eventos corporativos, com um faturamento de 339 milhões de euros em 2013, uma alta de 21% frente ao ano anterior.

A operação brasileira, no entanto, não é tão grande. A MCI faturou R$ 80 milhões em 2014, cifra que projeta aumentar 50% para R$ 120 milhões. 

Para tanto, a MCI Brasil, uma joint-venture com o Grupo Alatur JTB, anunciou recentemente a compra da Acqua Consultoria, especializada em eventos das áreas de infraestrutura, meio-ambiente e energia e da AB Eventos, focada na área médica.

De acordo com a nota divulgada pela MCI, o objetivo é expandir a Campus Party para outras regiões do país e levar o evento para outros países, ainda não explorados pela Futura Networks.

Hoje, a maior edição da Campus Party no Brasil é promovida em São Paulo. Neste ano, o evento atraiu 8 mil visitantes, mais ou menos a mesma cifra das duas edições anteriores. 

Com cerca de 6,2 mil participantes acampados no local, é de se pensar se a organização não está preocupada com os problemas de falta d'água na capital paulista.

Outra edição, de menor porte, é promovida em Recife. Em 2013, o então diretor-geral da Futura Networks, Mario Teza, chegou a falar em planos de organizar uma edição edição no Rio de Janeiro, patrocinada pelo empresário Eike Batista, o que, obviamente, não aconteceu.

Além do Rio, Porto Alegre (onde a Futura Networks teve um escritório até 2013) e Fortaleza também foram especuladas como eventuais novos destinos para a Campus Party.

Em 2013, a Exame chegou a divulgar que a Telefônica, a maior patrocinadora do Campus Party (uma das atrações do evento é a enorme largura de banda oferecida)teria adquirido a Futura Networks, afirmação que é negada pela companhia.