José Luiz Rossi, presidente da Serasa Experian. Foto: Divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

A Serasa Experian anunciou uma nova instalação para expansão da operação em São Carlos. Com um investimento de R$ 30 milhões, o novo centro de excelência deve englobar as áreas de TI, captação de dados e finanças e vai atender todas as demandas do território nacional. 

O projeto conta com apoio da Investe São Paulo, agência de promoção de investimentos e exportação do Governo do Estado. A Investe SP apoiou o projeto principalmente por meio de informações técnicas e estratégicas sobre as cidades que estavam sendo analisadas pela empresa.

Nesta primeira fase, cerca de 500 funcionários estarão alocados em dois escritórios provisoriamente localizados no centro de São Carlos. A expectativa é que, com o crescimento das operações, o novo centro tenha capacidade para 1,5 mil funcionários.

Os funcionários atuarão no escritório provisório até o segundo semestre, quando se mudarão para a sede definitiva, no Distrito Industrial Miguel Abdelnur.

A criação da Serasa Experian São Carlos faz parte de um processo continuo para que o modelo operacional seja o mais eficiente possível e permita mais flexibilidade e rapidez na tomada de decisões. 

“Ao agregarmos dados com mais eficiência e agilidade, permitiremos que as transações dos nossos clientes sejam ainda mais ágeis e simples do ponto de vista processual, promovendo o crescimento dos negócios em tempos difíceis”, diz José Luiz Rossi, presidente da Serasa Experian.

Além disso, a maior sinergia entre os times de dados e TI no mesmo espaço irá facilitar a comunicação e integração.

“Dados e TI estão na essência do que fazemos e são elementos primordiais para entregarmos nossas soluções”, afirma Rossi.

Após um processo de seleção, a escolha da cidade de São Carlos levou cerca de um ano e teve início com 50 cidades. A principal preocupação da Serasa Experian era escolher uma localidade que apresentasse a infraestrutura necessária para sustentar o crescimento da empresa.

Fatores como Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), segurança, boa rede educacional e de saúde foram levados em conta, além da proximidade aos grandes centros urbanos, universidades e disponibilidade de profissionais qualificados.