Operadoras da América Latina pretendem testar 5G em locais esportivos e eventos de eSports até o final do ano. Foto: Pexels.

Grandes eventos esportivos serão importantes para impulsionar a tecnologia 5G. A informação faz parte de uma pesquisa realizada pela Ovum para a Amdocs, fornecedora de software e serviços para empresas de comunicação e mídia. 

O estudo ouviu 60 das 100 maiores operadoras do mundo (sendo nove da América Latina e duas do Brasil).

A pesquisa busca entender como as operadoras estão desenvolvendo suas redes nesse momento de transição para a era do 5G. 

O estudo focou em grandes eventos esportivos e de eSports, pois considera que eles oferecem um ambiente perfeito dos requerimentos de rede para o 5G.

“Os grandes eventos esportivos são chave para a aplicação dessa tecnologia porque exigem velocidade de transmissão, atraem investimentos altos e geram interesse massivo de público e mídia”, explica Renato Osato, vice-presidente da Amdocs.

Mais da metade (55%) das operadoras latino-americanas afirmam que os próximos grandes eventos esportivos estão influenciando seus cronogramas de lançamento 5G. 

A grande maioria (89%) planeja lançar serviços comerciais 5G até o final de 2020 e todos pretendem testar 5G em locais esportivos e eventos de eSports até o final do ano.

Quando a nova rede estiver em funcionamento, os consumidores precisarão de dispositivos que suportem a velocidade 5G. 

Para garantir a adoção da nova tecnologia, 44% das operadoras latino-americanas disseram estar preparadas para subsidiar dispositivos de TV inteligente habilitados para 5G e um terço disse que subsidiaria smartphones, laptops e fones de realidade aumentada habilitados para 5G.

“As operadoras não vão fazer tudo sozinhas. As parcerias com OTTs e fabricantes de smartphones serão necessárias para avançar no uso do 5G”, afirma Adriana Landwehrkamp, vice-presidente da Amdocs.

De acordo com o estudo, 89% das operadoras planejam novas parcerias com canais de transmissão e OTTs em sua busca pela transformação na maneira de entregar a cobertura de esportes para os consumidores;

A realidade virtual (VR) e aumentada (AR) também devem crescer no novo cenário, pois 89% das operadoras buscam parcerias com provedores de apps para VR e 56% com provedores de apps de realidade aumentada (AR).

Na América Latina, os principais desafios de rede em relação aos novos serviços 5G para esportes e eSports, de acordo com 55% da operadoras, são custo de construção de rede, retorno do investimento e criação de suporte eficiente para a indústria do multicast.

A cobertura interna nos estádios também foi vista como um grande desafio por 33% das operadoras.

Nos desafios relacionados a TI, o gerenciamento de ponta a ponta dos serviços relacionados a esportes foi considerado um desafio-chave por 55% das operadoras, seguido pelo gerenciamento de fatiamento de rede, citado por 44%.

Para colaborar com a solução dos desafios, 44% das operadoras latino-americanas vêem o núcleo de pacotes 5G como o aspecto mais importante do projeto de rede necessário para fornecer novos serviços 5G e o primeiro que planejam implantar. A Amdocs considera que essa arquitetura pode permitir uma experiência de serviço perfeita em redes fixas, sem fio e convergentes.

Na área de TI, 89% das operadoras latino-americanas vêem como críticos os sistemas de gerenciamento de redes e de clientes, que podem suportar a otimização e a entrega eficiente de serviços baseados em 5G.

Além disso, 78% consideram importantes os sistemas de gerenciamento de receita e plataformas de big data para alcançar retorno de investimento para 5G.

*Júlia Merker viajou a São Paulo a convite da Amdocs.