Endeavor quer ajuda do público para ver seus vídeos em diversas línguas. Foto: divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

A Endeavor Brasil lançou nesta sexta-feira uma comunidade de traduções voluntárias para seus vídeos de emprendedorismo, negócios e inovação, utilizando para isso a plataforma Amara.

O plano é criar comunidades de voluntariado com milhares de apoiadores para legendar vídeos para pessoas com deficiência auditiva e traduzí-los com alto nível de qualidade para dezenas de idiomas.

Algumas comunidades da Amara, como a do TED Talks, já ajudaram a traduzir vídeos em diversos idiomas. O plano da Endeavor é seguir este caminho, disponibilizando seus conteúdos para um público maior.

“Os vídeos são uma das ferramentas mais poderosas que temos para transmitir nossa mensagem e compartilhar nosso trabalho” disse Felipe Fabris, coordenador de mídias da Endeavor.

A expectativa é que a plataforma transforme os vídeos da empresa em eventos internacionais, acessibilizando os cursos online muito além dos 2 milhões de usuários que a empresa contabilizou até hoje.

“Nós produzimos e publicamos cada vez mais vídeos todos os anos, é uma parte fundamental do trabalho para multiplicarmos a mensagem do empreendedorismo de alto impacto, e temos de garantir que essa mensagem chegue a cada vez mais brasileiros.

A primeira leva de vídeos que traduziremos com a Amara serão os painéis completos do Congresso Global de Empreendedorismo 2013, promovido em março no Rio de Janeiro.

O GEC recebeu participantes de mais de 130 países e levou ao palco pessoas como Brad Feld, fundador da famosa aceleradora americana Tech Stars, Jeff Hofman, co-fundador da Priceline.com, Dave McClure, fundador da 500 startups, e Abilío Diniz, presidente do conselho de administração do Grupo Pão de Açúcar.

Com sede em Nova Iorque, a Endeavor Initiative Inc. foi criada em 1997 por um grupo de ex-alunos da Universidade de Harvard que identificou a inexistência de uma cultura de incentivo ao desenvolvimento de novos negócios e de programas que efetivamente apoiassem empreendedores.

Atualmente, a organização apoia 443 empresas e 708 empreendedores, operando por meio de parcerias em 17 países e cada unidade possui administração independente, sendo mantida por empresários e parceiros locais.

No Brasil, a entidade apoia 58 empresas e 118 empreendedores. O faturamento anual de empreendedores brasileiros foi de R$ 2,4 bilhões. Elas geraram mais de 14,5 mil empregos.