Faxineiras estão offline. Foto: Pixabay.

Metade das empregadas domésticas (49%) não usa a wifi da casa dos seus empregadores porque não pediu ou não foi informada de qual é a senha.

O dado, uma curiosidade sobre o mundo das relações laborais no Brasil, foi levantado pelo InternetLab, think tank que investiga temas relacionados à tecnologia e ao direito. A pesquisa foi divulgada pelo site Universa.

Foram ouvidas 400 mulheres em uma pesquisa sobre acesso à internet e hábitos de navegação de empregadas domésticas da Grande São Paulo.

A mostra foi composta só de profissionais que tem um smartphone e acesso a Internet.

Isso não quer dizer que as domésticas não acessem a Internet no trabalho: 80% delas o fazem.

Só que as empregadas fazem isso com seu próprio plano de dados.

O problema é que 64% delas fazem uso de celulares pré-pagos e não possuem, em sua maioria, mais do que 1 a 4 giga de no pacote de dados para consumir no mês.

“Ou a senha não foi oferecida ou não foi pedida. Uma diarista chegou a dizer que temia que seus patrões pensassem que, ao usar a internet, ela pudesse enviar informações sobre a rotina da casa a alguém”, comenta a pesquisadora Natália Neris, coordenadora da área de desigualdade e identidade do InternetLab.