Doação depende de autorização da família. Foto: VILevi/Shutterstock.com

Para reforçar a campanha que marca o Dia Nacional de Doação de Órgãos, comemorado no próximo sábado, o Ministério da Saúde desenvolveu um aplicativo que fará interface com o Facebook. O #DoeÓrgãos irá notificar os familiares, automaticamente, no momento em que a pessoa se declarar doadora. 

Além disso, o internauta também poderá adicionar o laço verde – símbolo mundial da doação – à foto de seu perfil na rede social. 

Para expressar o desejo de ser um doador de órgãos, o usuário pode acessar o app na fanpage do Ministério da Saúde.

Com esses dados, o Sistema Nacional de Transplantes (SNT) criará um banco informal de doadores com base nas informações coletadas pela rede social. Mesmo assim, a doação só acontece com a autorização familiar.

O Facebook, em julho de 2012, apoiou a campanha do Ministério da Saúde e desenvolveu, a plataforma “Sou doador de órgãos” para incentivar a doação entre os usuários da rede. 

Ao todo, 535 mil pessoas manifestaram o desejo de serem possíveis doadoras de órgãos. O número supera em mais de 14 vezes o da lista de pacientes que esperam por um transplante, que tem 37,7 mil pessoas. 

Antes, a ferramenta já permitia que o internauta adicionasse a informação de doador a sua linha do tempo e ao seu perfil.

A página do Ministério da Saúde dedicada à doação conta com 242.614 mil curtidas.

O número de doadores de órgãos aumentou 89,7% no Brasil nos últimos seis anos. 

De 1.350 pessoas em 2008, o índice chegou a 2.562 em 2013. 

No mesmo período, o indicador nacional de doadores por milhão de habitantes subiu de 5,8 para 13,4, enquanto a fila de espera para transplante caiu 41,7% (de 64.774 mil para 37.736 mil).