Mercado Bitcoin é um dos maiores players do mercado de criptomoedas. Foto: Pixabay.

A Matera desenvolveu uma aplicação para integrar as operações do Mercado Bitcoin, uma das maiores corretoras de criptomoedas do país, com o banco Brasil Plural, por meio do qual a fintech faz as transações bancárias com seus investidores. 

Antes da implantação, as mais de 4 mil transferências em um mesmo dia realizadas pelos investidores de bitcoins eram validadas e conferidas manualmente. 

Agora, em cerca de 15 minutos, o autor e o valor da TED são identificados e o crédito é realizado na plataforma de negociação da fintech.

“A relação entre fintechs, especialmente as que transacionam criptomoedas, e o sistema bancário tradicional tem histórico conturbado. Entretanto, a parceria entre Mercado Bitcoin e Brasil Plural, impulsionada pela nossa plataforma, comprova que o potencial para grandes oportunidades de negócio para ambos os lados ainda é enorme”, diz Carlos Netto, CEO da Matera.

A Matera, empresa brasileira de soluções digitais para os segmentos financeiro, varejista e de gestão de riscos, atendendo clientes como J.P.Morgan, Santander, Agibank, Nubank, Pernambucanas e Renner. 

O Mercado Bitcoin acaba de conquistar a marca de 1 milhão de clientes cadastrados e teve mais de R$ 4,5 bilhões negociados na plataforma em 2017, envolvendo três moedas digitais: Bitcoin, Litecoin e Bitcoin Cash. 

Para 2018, a corretora tem a expectativa de atingir 2,5 milhões de clientes e R$ 50 bilhões em negociações.

Recentemente, a empresa anunciou a contratação de Galeno Garbe, ex-Uber, como CSO. Garbe foi um dos nomes mais chamativos de uma leva de meia dúzia de contratações que incluiu nomes vindos do Citibank, CPFL, Movile e 99.

O Brasil Plural atua com operações estruturadas de financiamento, assessoria financeira, asset management e gestão de patrimônio. 

Fundado por executivos oriundos do BTG, o banco possui escritórios em São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre, além de sua corretora afiliada em Nova York.