Buscapé amplia forma de pagamento para que usuários encham o carrinho. Foto: flickr.com/photos/justinbeck

O Buscapé Company lançou nesta terça-feira, 25, o Bcash, ferramenta de pagamentos online. A novidade já está ativa em sites que pertencem à marca e também será oferecida em outras lojas virtuais que adotarem o serviço.

A solução pretende oferecer aos usuários um ambiente fácil e seguro para a realização de compras no comércio eletrônico. O usuário pode se cadastrar através do perfil no Facebook ou utilizar o “pagamento expresso”, que permite a efetivação da compra sem cadastro.

Dentre suas ferramentas, o produto tem o Bcash Frete, que pode gerar até 50% de desconto nas entregas via Correios. Os parceiros que adotam esse sistema podem utilizar todas as agências próprias dos Correrios.

No site é possível identificar a agência conveniada mais próxima, clicando na seção "Onde Postar". Ao chegar na agência selecionada, o empreendedor precisa ter em mãos a etiqueta com o número de voucher de cada frete. Lá, não é necessário efetuar qualquer pagamento.

Nos Correios, deve-se apenas entregar a mercadoria para envio junto à etiqueta com o número de voucher. Caso o peso e as dimensões informadas no site Bcash Frete sejam diferentes do peso/dimensões medidos nos Correios, a diferença de preço do frete será cobrada automaticamente da conta Bcash.

Também foi implementado um sistema de pontos, o Carteira Bcash. Com ele, ao realizar qualquer compra, 5% do valor irá automaticamente retornar ao bolso do usuário em desconto para uma próxima aquisição ou em espécie.

Já em relação à segurança, o Bcash estreia com o selo de certificação internacional de segurança de dados de cartão de crédito.

Os vendedores recebem do Buscapé opções de combos e, em todos modelos, contam com meios de pagamento como transferência por meio dos bancos, cartões de crédito (Visa, MasterCard, American Express, Aura, Diners, ELO e Hipercard), boleto bancário, e a Carteira Bcash.

De acordo com a e-bit, atualmente são mais de 37 milhões de e-consumidores. No primeiro semestre, o digital commerce faturou R$ 10,2 bilhões, resultado de aproximadamente 29,6 milhões de encomendas feitas junto às lojas virtuais brasileiras.