O Poppin fechou um acordo para receber R$ 900 mil por 10% da empresa. Foto: Divulgação.

O Poppin, aplicativo de relacionamento que usa eventos e atividades para gerar matches e aproximar pessoas, fechou um acordo para receber R$ 900 mil por 10% da empresa em sua participação no Shark Tank Brasil - Negociando com Tubarões, exibido pelo Canal Sony. 

“Participar de um programa como o Shark Tank Brasil e falar do Poppin para os principais empreendedores brasileiros foi algo único. Apesar do foco atual ser o crescimento da base de usuários, sem ainda monetizar (algo que é sempre levado em conta em um negócio), conseguimos chamar a atenção dos tubarões e negociar da forma que havíamos planejado”, explica Guilherme Ebisui, CEO da startup.

O programa, que está em sua terceira temporada, tem como investidores Caito Maia, dono da Chilli Beans; Cristiana Arcangeli, empresária serial do segmento de moda, beleza e bem-estar; Robinson Shiba, criador e presidente da rede China In Box; João Appolinário, fundador da Polishop e Camila Farani, referência em investimento-anjo do Brasil. 

Appolinário e Camila foram os responsáveis pelo investimento no Poppin.  

O Poppin é um aplicativo de relacionamento que utiliza atividades e eventos em comum para conectar pessoas. Presente em cidades de todo o Brasil, o app conta com mais de 500 mil usuários e tem parceria com mais de 3 mil eventos e agências de entretenimento.

O valor negociado pelos fundadores do Poppin faz parte de uma rodada maior de investimento que, no total, chega a R$ 2,1 milhões, com aportes também dos fundos Eclipseon e Duxx Investimentos. O montante será investido na expansão e consolidação do aplicativo no mercado nacional e no desenvolvimento de tecnologia/produto.

Guilherme Ebisui e Filipe Santos são os fundadores do aplicativo. Antes de criar a empresa, Ebisui atuou na área de marketing e audiovisual da Rolling Stone. Já Santos fez parte da equipe do Grupo Manga.