Mas o aumento não é lá grande coisa. Foto: Pixabay.

Os CIOs brasileiros projetam um aumento dos investimentos em TI para 2019. Essa é a notícia boa: a má que o salto será de 1% de crescimento no orçamento em 2018 para 2,3%.

Os dados fazem parte do estudo CIO Agenda de 2019, apresentado no Gartner Symposium/ITxpo 2018 que acontece nesta semana em São Paulo.

Com as coisas mal no assunto orçamento, o jeito é trabalhar no lado cultural. 

“Os CIOs brasileiros devem investir tempo, dinheiro e recursos humanos para remover qualquer barreira à mudança”, afirma Álvaro Mello, Diretor Vice-Presidente do Gartner. De acordo com Mello, “os CIOs deveriam dedicar tanto tempo quanto os diretores de Recursos Humanos para moldar uma nova cultura necessária para ter sucesso nos negócios digitais”.

Haja mudança cultural. Com um cenário de inflação para este ano prevista em 4,11% e alta do dólar, pelo qual estão indexados muitos dos produtos comprados pelos CIOs, após anos de diminuição ou manutenção dos recursos, os orçamentos de TI seguem apertados na prática.

O aumento de orçamento de TI dos CIOs brasileiros também é um dos menores apontados pela pesquisa, que ouviu 3 mil profissionais em todo mundo.

O líder no crescimento de budget é mais uma vez a Ásia/Pacífico, com um incremento estimado em 3,5%. Europa, Oriente Médio e África (EMEA) devem apresentar crescimento de 3,3% em seus orçamentos e a América do Norte, 2,4%. 

A América Latina projeta um crescimento de 2% em 2019, abaixo dos 2,8% deste ano.

Mesmo assim, o Gartner encontra espaço para otimismo:

“Após alguns anos com orçamentos de TI diminuindo ou aumentando pouco, há uma clara mensagem agora de que as empresas do Brasil precisam se recuperar do subinvestimento dos anos anteriores”, afirma a empresa de consultoria em nota.

Os CIOs brasileiros representam aproximadamente 5% do total de entrevistados, respondendo por mais de US$ 500 bilhões em receita/orçamentos do setor público e US$ 9 bilhões em investimentos para a área de TI.