Devo, não nego, pago quando puder. Foto: Pexels.

Tamanho da fonte: -A+A

A Sinqia, empresa de softwares para o setor financeiro, comprou 51% a QuiteJá, especializada em soluções para recuperação de créditos, por R$ 38,25 milhões.

O valor está dividido em duas partes iguais, uma delas em dinheiro e outra em ações da Sinqia. A empresa tem a opção de comprar os 49% restantes, por um valor vinculado aos resultados em 2024 e 2025.

Fundada em 2016 em Curitiba, a QuiteJá recuperou desde a sua fundação mais de R$ 555 milhões, realizou mais de 2 milhões de acordos, chegou ao marco de 4 milhões de boletos pagos e concedeu aproximadamente R$ 3,7 bilhões em descontos aos seus clientes pessoa física e jurídica.

A empresa registrou receita líquida de R$ 20,3 milhões e EBITDA de R$ 5,4 milhões nos doze meses encerrados em 30 de junho de 2021.

De acordo com nota da Sinqia, a empresa tem um alto nível de digitalização ao mesmo tempo em que o atendimento humano tem boas avaliações em sites de referência como o Reclame Aqui.

A plataforma seria usada por “alguns dos principais credores do Brasil” e tem um atrativo óbvio para boa parte da carteira de 500 clientes da Sinqia, um grupo que inclui bancos, financeiras, fintechs, FIDCs e administradoras de consórcio, entre outros.

Essa é a vigésima primeira aquisição da Sinqia desde 2005, quando a empresa ainda se chamava Senior Solution.

A lógica por trás das compras é sempre a mesma: posicionar a Sinqia como líder no segmento e criar oportunidades de cross sell e up sell na base de clientes combinada.

Até agora, a empresa já formou uma oferta com pilares focados em bancos, fundos, previdência e consórcios, além de outsourcing e consultoria.

A Sinqia fechou o ano passado com uma receita líquida de R$ 210 milhões, uma alta de 19,9% frente aos resultados de 2019.

Os indicadores positivos também são vistos no EBITDA ajustado de R$ 30,2 milhões, 43% a mais que em 2019. 

Dinheiro para seguir comprando a empresa tem: a Sinqia finalizou o ano com R$ 321,1 milhões em caixa.