HPE desistiu da nuvem pública, pero no mucho. Foto: divulgação.

A Hewlett Packard Enterprise ainda não desistiu completamente da nuvem. Mesmo após tomar medidas como o desligamento de sua oferta de nuvem pública, a empresa quer se manter no jogo ao unir forças com a Microsoft para a oferta do Azure.

A informação foi divulgada pela própria CEO da HPE, Meg Whitman, em uma reunião com analistas nesta terça-feira, 24. A informação é do Business Insider.

Segundo a executiva, o acordo feito entre as duas parte prevê que a HP venderá o Azure como a "nuvem de preferência" para seus clientes. Em contrpartida, a HP será "a preferência" sugerida pela Microsoft no caso dos clientes solicitarem instâncias de produto ou consultoria além de seu serviço de nuvem.

Com a manobra, a HP quer crescer dentro do mercado de nuvens híbridas, considerado o caminho mais promissor para as grandes corporações. Para a HPE, a empresa focará em fornecer ambientes de infraestrutura e nuvens privadas, e quando o cliente demandar por ambientes públicos de cloud para algumas de suas aplicações, a Microsoft será a parceria principal.

Segundo analistas, a integração da HP, que ainda tem uma grande participação com clientes corporativos, pode ser um grande impulso para a Microsoft em sua competição com a AWS.

"E caso o plano não funcione, a HP sempre pode acionar uma nova parceria, desta vez com algum dos competidores do Azure", afirmou Julie Bort, do Business Insider.

A abordagem da HP difere bastante de outras de suas concorrentes tradicionais, como a IBM e Oracle. As duas também estão de olho na nuvem pública, mas por sua vez, apostaram em também fornecer seus ambientes cloud, entrando em uma briga dominada pela AWS e Microsoft.

A IBM chegou a anunciar no ano passado um investimento de US$ 1 bilhão para ampliar sua rede de data centers da oferta SoftLayer, destinada a nuvem pública. Este ano, a companhia chegou a abrir um novo data center no Brasil dedicado ao SoftLayer.

Na parte de infraestrutura, o plano da Oracle é acelerar, oferecendo produtos no mesmo preço ou até mesmo com valores mais baixos que a AWS, líder atual do mercado de IaaS, com cerca de 29%, segundo dados da Synergy Research. Para a Oracle, os serviços de infraestrutura funcionarão diretamente ligados à oferta de suas soluções.

A Cisco também está interessada no mercado, tanto que quer emplacar a Intercloud, solução resultante da integração de diversos players menores de cloud que querem se manter vivos frente à presença massiva da AWS.